Responsável por obras da Linha 18 descarta bancar desapropriações

Responsável pelo grupo que fará a implantação da Linha 18-Bronze do Metrô (Tamanduateí-Djalma Dutra), que ligará o Grande ABC à Capital, o presidente do Consórcio Vem ABC, Maciel Paiva, descartou hipótese levantada pelo governo de São Paulo de antecipar investimentos no projeto e fazer as desapropriações, no valor de R$ 407 milhões, sob responsabilidade do Estado. “Seria inversão bastante radical (do contrato)”, sustentou, em entrevista exclusiva ao Diário. O executivo ponderou que a crise econômica do País também impede tentativa de acordo neste sentido. “Os recursos são de magnitude grande e não estão disponíveis para essa tomada de decisão.”

Maciel Paiva afirmou que as empresas que integram o consórcio já aplicaram R$ 38 milhões no plano, mesmo sem, por enquanto, ter a eficácia do contrato, visando “ganhar tempo”. O termo foi assinado em agosto de 2014, mas, até agora, não se efetivou. Com essa situação, as intervenções não iniciaram - deveriam começar em junho. Há entrave no aval da União a pedido de financiamento externo – justamente às desapropriações. “Fizemos diversas atividades, a exemplo de projeto ambiental e sondagens. Algumas seriam feitas somente depois do início das obras, mas estamos adiantando para poder ganhar algum tempo, que infelizmente está sendo perdido agora.”

O presidente do consórcio negou ainda que sejam necessárias as conclusões das linhas 15-Prata (Vila Prudente-Cidade Tiradentes) e 17-Ouro (Jabaquara-Morumbi), conforme sugerido pelo secretário nacional de Transportes, Dario Rais Lopes, para se começar as obras da 18. Segundo Maciel Paiva, o projeto não tem nenhuma ligação com os outros dois monotrilhos. “A tecnologia ela é dominada. Ela é nova no Brasil, mas não é no mundo. A facilidade de implantação ajuda. Não tem porque se falar que a tecnologia não é conhecida. Tem que se fazer gestão adequada da obra.”

Secretário nacional de Transportes avalia que o Estado deveria concluir as linhas 15-Prata e 17-Ouro, para posteriormente, iniciar a 18-Bronze? Esse procedimento é o ideal?
É a primeira PPP (Parceria Público-Privada) de monotrilho que não tem nenhuma ligação com os outros dois monotrilhos que estão sendo feitos. Não podemos como concessionária ter opinião se é tem ou não de fazer. Fomos contratados e vamos fazer, construir e operar. A decisão de implantar sistema transporte de massa é do governo de São Paulo. O secretário estadual de Transportes Metropolitanos (Clodoaldo Pelissioni) tem falado com convicção de se fazer a Linha 18. Então, não tem nada que nos impeça de começar tão logo a questão dos recursos estejam equacionados.

Do ponto de vista dessa nova tecnologia, não são necessários testes de outras linhas para iniciar a operação da 18? 
A tecnologia é dominada. Ela é nova no Brasil, mas não é no mundo. O trem é simples, com sistema que não do fornecedor do carro. São de empresas de nível mundial, colocados nos Metrôs, trens de alta velocidade. No Japão, China e Coreia do Sul têm vários monotrilhos. Na Ásia há bastante, com países superpovoados, cidades grandes, a exemplo de São Paulo, com complexidade da urbanização. E o monotrilho se adequa bem, pois chega a um lugar que já está ocupado. A facilidade de implantação ajuda também. Uma das empresas está, por exemplo, com know how da Linha 17. Já aprendeu a fazer com perfeição essas vigas. Não tem porque se falar que a tecnologia não é conhecida. Tem que se fazer gestão adequada da obra.

Levantar problema técnico visa abafar falta de recursos?
A Linha 18 é PPP. Sou o representante da parte privada. O Estado tem convênio com os quatro municípios, integrando São Paulo, São Caetano, Santo André e São Bernardo. Essa questão se o projeto sai ou não, o dinheiro está disponível ou não, não diz respeito à parte privada. Temos de implantar em quatro anos, após o início das das obras e operar por 21 anos.

Sobre a Cofiex (Comissão de Financiamentos Externos), ligado ao Ministério do Planejamento, o consórcio também entra nas negociações para mostrar a questão de viabilidade do monotrilho e alcançar a autorização do governo federal para o empréstimo a bancos internacionais e iniciar as desapropriações?

O financiamento é composto pela parte pública e privada. O Cofiex diz respeito à parte pública. O Estado solicitou autorização à Assembleia Legislativa para fazer financiamento externo e obter recursos iniciais para desapropriações. Como é externo, precisa de aval do governo federal. Na parte privada, nós temos solicitação de financiamento junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), que está bastante avançado. Obviamente, só acontecerá a hora que tivermos o sinal verde da parte pública. O equacionamento da nossa parte chega a R$ 1,9 bilhão, sendo parte do BNDES e obrigação contratual de aporte, no valor de R$ 380 milhões. Já aplicamos R$ 38 milhões.

Qual a sua avaliação sobre o entrave na autorização ao financiamento externo, parado no Cofiex?
Estamos vivendo momento delicado na economia do País. Entendo que esse momento ruim vai passar, e rápido. Para se retomar o ritmo da economia, os investimentos em infraestrutura e outros, que de certa forma alavancam, virão. Nesta situação, a Linha 18 está, em ranking de Fórmula 1, na pole position. Temos contrato, já há concorrência, projeto claramente definido, consolidado o traçado com todas prefeituras, equipe mobilizada para começar imediatamente, terras avaliadas. Havendo recursos em prazo curto, daremos entrada. Tem projeto ambiental executado. Demos entrada com a licença de instalação junto à Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). Há tudo para acelerar tão logo tenha o sinal verde.

Em quais condições o consórcio já fez aporte de dinheiro?
Fizemos diversas atividades durante esse período. Algumas seriam feitas somente depois do início das obras, mas estamos adiantando para poder ganhar algum tempo, que infelizmente está sendo perdido agora. A exemplo do projeto ambiental, avaliação das terras, sondagens. O terreno, felizmente, é bastante uniforme e não tivemos surpresas. Em um ano e meio, realizamos reuniões periódicas com as secretarias de Obras de cada prefeitura para compatibilizar a Linha 18 com os futuros projetos da municipalidade, sobre corredores de ônibus, expansão de viário, rodoviária. Isso ganha tempo enorme. No contrato, a concessionária pode explorar a aptidão comercial dos prédios de acesso. Faremos verdadeiros centros comerciais nas estações.
O contrato até agora não teve eficácia. O último prazo entre as partes é agosto de 2016 para ‘ativar’ o termo? 

O prazo do contrato foi aditado por mais um ano a partir de agosto de 2015. Ou seja, até agosto de 2016 o contrato é válido. Em fevereiro, acordamos o seguinte: seria aditado por seis meses, prorrogáveis por mais seis. Quando chegar em fevereiro (de 2016), não necessariamente tem que fazer aditamento, caso a eficácia não possa ser dada. As partes sentam e ajustam. O contrato para ter eficácia necessita atender 13 pontos. Desse total, salvo engano, metade era atribuição do Estado e 12 pontos foram cumpridos. Houve evolução e esforço das partes para se colocar o contrato possível de iniciar as obras. A exceção é por conta dos recursos para desapropriação. É a única coisa que não está equacionada, mas que de certa forma impede o início das obras.

Em plano B, o governo do Estado cogitou hipótese de antecipação de investimentos da iniciativa privada para se fazer as desapropriações, no valor de R$ 407 milhões, que são responsabilidade do poder público. 

O sr. considera que isso seja possível?
A situação econômica está difícil para todos. Está complicado para o governo, mas também está difícil para a iniciativa privada. Adianto que essa questão seria alteração muito complexa daquilo que foi objeto da contratação, do edital, que deixava claro as fontes dos recursos, que são de magnitude grande e não estão disponíveis para essa tomada de decisão. Seria inversão bastante radical. Temos que cumprir aquilo para o que se foi contratado. Vamos fazer nosso papel, implantar, operar, mas não exacerbando aquilo que é do nosso escopo.

Com relação aos prazos, a projeção de conclusão da Linha 18 já está colocada para 2020 e com qual demanda atendida?
São quatro anos de implantação, podendo antecipar. Mas precisa da definição do início. Se começasse agora, daria novembro de 2019. Só que é muito pouco provável que comece ainda neste ano. Tenho esperança de acelerar a partir do start.



Comentários
0 Comentários

0 comentários:

​Obras de modernização alteram circulação dos trens da CPTM neste fim de semana (28 e 29/11)

Neste fim de semana, 28 e 29 de novembro, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) prosseguirá com as obras de modernização em suas linhas.  No domingo, dia 29, para facilitar a viagem dos estudantes que farão o vestibular da Fuvest, as obras começarão a partir das 13h.  Confira a programação e antecipe sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, haverá obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Perus e Caieiras.  O intervalo médio entre as estações Luz e Pirituba será de 15 minutos e, entre Pirituba e Francisco Morato, de 30 minutos.

Domingo: das 13h até meia-noite, serão retomadas as obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Perus e Caieiras. O intervalo médio entre as estações Luz e Pirituba será de 15 minutos e, entre Pirituba e Francisco Morato, de 30 minutos.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Domingo:  das 13h até meia-noite, os serviços serão realizados nos equipamentos de via permanente entre as estações Barueri e Engenheiro Cardoso. O intervalo médio entre as estações Júlio Prestes e Barueri será de 10 minutos e, de Barueri a Itapevi, de 20 minutos.

Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, as intervenções acontecem no sistema de rede aérea entre as estações Presidente Altino e Osasco, interrompendo a circulação nesse trecho. Para completar a viagem até Osasco os usuários deverão utilizar os trens da Linha 8-Diamante. O intervalo médio entre as estações Presidente Altino e Grajaú será de 10 minutos.

Domingo: das 13h até meia-noite, serão retomadas as obras no sistema de rede aérea entre as estações Presidente Altino e Osasco. Para completar a viagem até Osasco, os usuários deverão utilizar os trens da Linha 8-Diamante.O intervalo médio entre as estações Presidente Altino e Grajaú será de 10 minutos.

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 13h às 21h, haverá intervenções nos equipamentos de via permanente nas imediações da Estação Capuava. O intervalo médio em toda a linha será de 10 minutos.

Linha 11-Coral / Expresso Leste (Luz – Guaianases)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, em razão das obras a serem realizadas no trecho entre as estações Guaianases e Estudantes, o intervalo médio entre as estações Luz e Guaianases será de 20 minutos.

Domingo: das 13h até meia-noite, serão executados serviços nos equipamentos de via permanente entre as estações Tatuapé e Corinthians-Itaquera. O intervalo médio entre as estações Luz e Guaianases será de 20 minutos.

Extensão Linha 11-Coral (Guaianases – Estudantes)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, os trabalhos se concentrarão nas obras da nova Estação Suzano. O intervalo médio será de 30 minutos entre as estações Guaianases e Estudantes.

Domingo: das 13h até meia-noite, prosseguirão as obras da Estação Suzano. O intervalo médio entre as estações Guaianases e Estudantes será de 20 minutos.

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, haverá obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações USP Leste e Comendador Ermelino, e entre Eng. Manoel Feio e Calmon Viana. O intervalo médio será de 35 minutos em toda a linha.

Domingo: das 13h até meia-noite, serão retomadas as intervenções no sistema de rede aérea entre as estações USP Leste e Comendador Ermelino, e entre Eng. Manoel Feio e Calmon Viana. O intervalo médio será de 30 minutos em toda a linha.

Desafio: A CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.

Vimos na CPTM

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

E a extensão da Linha 4 Amarela rumo a Taboão da Serra?

Imagem de Digna Imagem/Clóvis Ferreira

As obras da conclusão da segunda fase da Linha 4-Amarela devem ser retomadas até abril de 2016, e as inaugurações devem ser feitas entre 2017 e 2019, com as entregas de Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia. Houve problemas com o consórcio responsável pela construção, e o contrato entre as partes foi rompido, levando o Metrô a promover uma nova concorrência.

O Governo do Estado tem planos também para uma terceira fase, rumo ao município de Taboão da Serra, que assim como todo o restante da linha acabou tendo os prazos postergados. Em 2011, a promessa era para 2015, a chegada da linha nas imediações de um Hipermercado próximo a divisa dos dois municípios. 

Depois este prazo foi para 2019, e agora a administração estadual está mais cautelosa, não fixando uma data certa para a operação, como fez no passado.

Segundo o Secretário dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, em entrevista a rádio Jovem Pan, o projeto básico esta em andamento para a extensão. Pelissioni disse também que os esforços estão concentrados até Vila Sônia, o que mostra que a terceira fase da linha pode ficar para a década que vem.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Alckmin se reúne com ministro e discute Trens Intercidades

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, se reuniu nesta terça, 24, com o ministro dos transportes, Antônio Carlos Rodrigues, no Palácio dos Bandeirantes, para discutir temas da pasta no Estado.

A primeira pauta foi sobre o Rodoanel Norte onde o Alckmin diz que não recebeu nenhuma verba do Governo Federal neste ano. Estava previsto o desembolso de R$ 176 milhões por parte da União.

“Destacamos ao ministro a necessidade dos recursos para este ano e para o próximo”, informou Alckmin ao citar a obra do Rodoanel Norte. “É uma obra que está indo muito bem, com 4.700 trabalhadores. Os recursos são importantes para a manutenção dos empregos”, explicou Alckmin.

Com 44 km de extensão, o valor atualizado dos investimentos no Rodoanel Norte é de R$ 6,85 bilhões, sendo R$ 4,30 bilhões em obras e R$ 2,55 bilhões em compensações ambientais, desapropriações, reassentamentos, interferências, projetos, supervisão, gerenciamento, comunicação e obras complementares. Os recursos são originários de convênio entre União e Estado (R$ 2,05 bilhões), Tesouro Estadual (R$ 2,78 bilhões) e BID (empréstimo de R$ 2,01 bilhões). A previsão é que o ultimo trecho do Rodoanel seja entregue em 2017 e ligará a Rodovia Presidente Dutra a Rodovia dos Bandeirantes, passando pela Rodovia Fernão Dias e tendo um acesso ao Aeroporto de Guarulhos.

Durante o encontro entre o governador e o ministro, ficou acertado também que haverá uma reunião técnica na próxima semana, em Brasília, para discutir a compatibilização entre os trens de carga e de passageiros.
Sobre o trem intercidades, o Governo de São Paulo aguarda aval do Governo Federal sobre o tema pois a faixa de domínio onde o trem pretende passar, fica em grande parte do trajeto ao lado dos trens de carga​ sob concessão da União. A documentação foi protocolada em abril ​de 2014, ​em Brasília, e reiterado em setembro.

Com relação ao Ferroanel, projeto de linha de trem de carga que pretende desafogar as linhas da CPTM, fazendo com que os trens passem por for a da cidade, o Governo do Estado apresentou duas propostas ao Governo Federal: autorizar a DERSA/SA a fazer o projeto de engenharia considerando uma futura duplicação de via entre Manuel Feio e Perus, além da União assumir o compromisso de executar a obra do Ferroanel.

A previsão de início ainda não está definida. O prazo para a conclusão do empreendimento é de 48 meses a partir do começo das obras. Quando estiver completo, o anel ferroviário tangenciará a Região Metropolitana de São Paulo e interligará as regiões de Campinas, Vale do Paraíba e Baixada Santista.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Secretário diz que tatuzão escava sem conhecer o solo

Foto: Divulgação Metrô

Diante da repercussão que uma reportagem do jornal “O Estado de São Paulo” teve, dizendo que as obras da Linha 5 – Lilás, do Metrô, ficaram R$ 1 bi mais caras (leia aqui), o secretário estadual dos transportes metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, confirmou ao jornal que o Metrô desconhece o solo da capital.

“Na hora que os tatuzões escavam não tem 100% de conhecimento sobre o solo. Na verdade, na hora que você executa uma obra de Metrô, você tem diversos imprevistos”, explica Pelissioni. O secretário ainda disse que durante escavações no subsolo sob a Avenida Santo Amaro, uma parte cedeu e futuras estações tiveram de ter paredes alargadas.

Clodoaldo diz que o Governo publica editais e gasta mais dinheiro público de acordo com a lei uma vez que as licitações permitem pagar 25% dos valores iniciais das empresas que vencem as concorrências.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Linha 18 fica para 2020, e Governo Federal questiona Monotrilho

Imagem de Sergio Mazzi

O prazo para operação do monotrilho da Linha 18-Bronze ficou para até 2020, de acordo com o Secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, na Comissão de Transportes e Comunicações da Assembleia Legislativa, ocorrida nesta segunda-feira (23). Na mesma reunião, representantes de União e Estado mantiveram divergência sobre o financiamento para desapropriações.
 
O estado aguarda R$ 1,2 bilhão do governo federal por meio do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social, porém este valor só seria liberado caso fossem sejam apresentadas as garantias das desapropriações, a cargo da administração estadual.

“Vamos tomar dinheiro no Exterior, sem onerar diretamente a União. Por isso, acreditamos que é possível obter aval a esse financiamento. Com esse quadro, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) tende a assinar contrato. Esse acordo está faltando para viabilizar o contrato, e até o fim do ano que vem iniciarmos as obras. Entre 2019 e 2020 hoje é a realidade.”, disse o Secretário.

Já o secretário nacional da Mobilidade Urbana, Dario Rais Lopes, diz que a escolha do monotrilho pode não ter sido a melhor solução. Lopes assegurou que o governo federal não tem objeções pelo projeto. “Nos causa preocupação a forma pela qual se trabalha a solução. Não estamos convencidos de que a solução será a mais adequada … Isso não quer dizer que nós boicotemos” – disse Lopes.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obras da Linha 4 devem ser retomadas em abril

O Governo de São Paulo lança hoje o edital para a retomada das obras da linha 4 – amarela, do Metrô, que incluem as estações Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, São Paulo-Morumbi, Vila Sônia e além de uma extensão do patio Vila Sônia.

De acordo com o secretário estadual dos transportes metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, a previsão é que a licitação leve de 120 a 180 dias para terminar, fazendo com que as obras sejam retomadas em abril do próximo ano.

“Após ser retomada, a Estação Higienópolis-Mackenzie deve ficar pronto em 12 meses. A Oscar Freire, em 15 meses. Já a Estação São Paulo-Morumbi termina em 18 meses. E a Vila Sônia, em 36 meses. Mas vamos trabalhar muito para antecipar esse prazo”, disse o secretário.

Se as previsões de Clodoaldo estiverem certas, a estação Vila Sônia só sera entregue em 2019, 15 anos após o início das obras da linha 4.

A liberação para a retomada veio do Banco Mundial que emitiu a chamada “não objeção”, atestado que diz que o Governo pode seguir com o processo de licitação.

O valor previsto para obra é de R$ 1,3 bi e vem de recurso do Banco Mundial. O Estado já tinha uma linha de crédito aprovada para a linha 5 junto ao Banco que nunca foi usada e agora vai ser utilizada para a linha 4.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Linhas terão intervalo de até seis minutos, diz Tatto

Em entrevista ao portal Mobilize Brasil, o Secretário Municipal de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, disse que a partir da nova licitação dos transportes, todas as linhas da capital Paulista devem ter intervalos entre as partidas de até seis minutos, com exceção das que prestam serviços na madrugada. Tatto respondeu ao questionamento do portal sobre uma matéria do jornal “O Estado de S. Paulo”, que levantou a possibilidade de que o novo modelo estimule os empresários a lotar ao máximo os ônibus.

O secretário argumenta que a oferta de lugares deve crescer em 14%, ainda que uma parte da frota seja reduzida. “Vamos trabalhar com ônibus de maior capacidade nos corredores e vamos aumentar em 18% o número de viagens. O critério de lotação é de seis passageiros por metro quadrado, que é um padrão internacional. Além disso, vamos padronizar os ciclos de partida, em no máximo seis minutos, em todas as linhas, exceto durante a madrugada“, diz Tatto.

A concorrência foi suspensa termporariamente pelo Tibunal de Contas do Municipio. Tatto considera as ações “normais, pelo valor e tempo dos contratos”, que serão de 20 anos. “Nós achamos que 20 anos é um tempo adequado, para que sejam feitas duas rodadas de investimento na frota. E a cada quatro anos, como o contrato é de longo prazo, nós faremos uma revisão, uma aferição para verificar se as condições do serviço estão sendo atendidas conforme o contrato”, afirmou o secretário.

A entrevista completa pode ser vista aqui.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obras de modernização alteram circulação dos trens da CPTM neste feriado da Consciência Negra


Neste fim de semana prolongado, em razão do feriado da Consciência Negra (20/11), a CPTM intensificará as obras de modernização em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos. Confira a programação e antecipe sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)

Quinta-feira: das 21h30 até o fim da operação comercial, haverá obras de modernização nos equipamentos de via permanente nas proximidades da Estação Franco da Rocha. O intervalo médio será de 15 minutos entre as estações Luz e Caieiras e, de Caieiras a Francisco Morato, de 30 minutos. 

Sexta-feira: das 7h às 18h, os serviços nos equipamentos de via permanente ocorrerão entre as estações Vila Aurora e Perus. O intervalo médio será de 30 minutos entre as estações Luz e Francisco Morato.

Sábado e domingo: das 20h do sábado até meia-noite do domingo, serão retomadas as obras de modernização nos equipamentos de via permanente e no sistema de rede aérea nas imediações da Estação Franco da Rocha. O intervalo médio será de 15 minutos entre as estações Luz e Caieiras e, entre Caieiras e Francisco Morato, de 30 minutos. 

Extensão Linha 7-Rubi (Francisco Morato – Jundiaí)

Sexta-feira: das 4h às 18h, haverá intervenções no sistema de rede aérea entre as estações Francisco Morato e Botujuru. O intervalo médio no trecho entre as estações Francisco Morato e Jundiaí será de 30 minutos.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Sexta-feira: das 8h às 20h, serão realizados serviços nos equipamentos da via permanente entre as estações Jandira e Itapevi. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Júlio Prestes e Barueri e, de Barueri e Itapevi, de 20 minutos.
 
Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, serão executados serviços no sistema de rede aérea entre as estações Domingos de Moraes e Imperatriz Leopoldina. O intervalo médio entre as estações Júlio Prestes e Itapevi será de 20 minutos.
 
Domingo:  das 13h até meia-noite, os trabalhos serão realizados nos equipamentos de via permanente entre as estações General Miguel Costa e Barueri. Também haverá intervenções no sistema de rede aérea no trecho entre as estações Domingos de Moraes e Imperatriz Leopoldina.  O intervalo médio entre as estações Júlio Prestes e Itapevi será de 22 minutos. 

Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú)

Sexta-feira: das 4h até meia-noite, serão realizados serviços no sistema de rede aérea entre as estações Villa Lobos-Jaguaré e Vila Olímpia. O intervalo médio em toda a linha será de 25 minutos.

Linha 11-Coral / Expresso Leste (Luz – Guaianases)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, em razão das obras a serem realizadas no trecho entre as estações Guaianases e Estudantes. O intervalo médio entre as estações Luz e Guaianases será de 20 minutos. 

Extensão Linha 11-Coral (Guaianases – Estudantes)

Sexta-feira: das 6h às 19h, devido as obras de modernização da Estação Poá, o intervalo médio entre as estações Guaianases e Estudantes será de 20 minutos.

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, os serviços estarão concentrarão nas obras da nova Estação Suzano. O intervalo médio entre as estações Guaianases e Estudantes será de 30 minutos.

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Sexta-feira: das 4h até meia-noite, haverá obras de modernização do sistema de rede aérea entre as estações Engº Manoel Feio e Calmon Viana. Das 4h às 18h, os serviços serão realizados nos equipamentos de via permanente nas proximidades da Estação Aracaré. O intervalo médio entre as estações Brás e Engº Manoel Feio será de 15 minutos e, de Engº Manoel Feio a Calmon Viana, 30 minutos.

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, as obras de modernização ocorrerão no sistema de rede aérea entre as estações Engº Goulart e Comendador Ermelino. O intervalo médio será de 35 minutos em toda a linha.

Domingo: das 13h até meia-noite, serão executados serviços no sistema de rede aérea entre as estações Brás e Tatuapé. O intervalo médio será de 20 minutos em toda a linha.

Desafio: A CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.
 
Vimos na CPTM

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Aprovado empréstimo para desapropriações da Linha 6 Laranja

Foi aprovado nesta semana um empréstimo para desapropriações da Linha 6-laranja do Metrô. Trata-se de uma Parceria Público Privado (PPP), onde o setor privado em conjunto com o poder público tocam as obras.

No caso das desapropriações, o processo esta a cargo do Governo Estadual. De acordo com o Governador Geraldo Alckmin, nesta quarta-feira, 19 de Novembro, foi aprovado um empréstimo de R$ 690 milhões para os trabalhos. As declarações foram dadas na Rádio Jovem Pan, e o Governador não deu detalhes da fonte de financiamento.

Segundo projeções do Governo Estadual, a linha deve ser entregue em 2020. A nova ligação metroviária terá 15,3 km de extensão e 15 estações, sendo elas: Brasilândia, Vila Cardoso, Itaberaba, João Paulo I, Freguesia do Ó, Santa Marina, Água Branca (com conexão com as linhas 7 – rubi e 8 – diamante da CPTM), Sesc Pompéia, Perdizes, PUC-Cardoso de Almeida, Angélica/Pacaembu, Higienópolis/Mackenzie (conexão com a linha 4 – amarela do Metrô/ViaQuatro), 14 Bis, Bela Vista, São Joaquim (conexão com a linha 1 – azul do Metrô). A operação ficará a cargo do Consórcio Move SP.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Metrô abre mais cedo no retorno do feriado do Dia da Consciência Negra

Na próxima segunda-feira (23/11), dia do retorno do feriado prolongado do Dia da Consciência Negra, que é comemorado na sexta-feira (20), a abertura das estações metroviárias das linhas 1-Azul, 2- Verde, 3-Vermelha e 4-Amarela (operada pela concessionária ViaQuatro) será antecipada para as 4 horas, 40 minutos mais cedo do que o habitual. A medida tem por objetivo atender os usuários que desembarcam na capital pelos terminais rodoviários Tietê e Jabaquara (integrados à Linha 1-Azul) e Barra Funda (integrado à Linha 3-Vermelha). 

Já na Linha 5-Lilás, a abertura das estações ocorrerá no horário habitual, a partir das 4h40. Também não haverá mudanças no horário de funcionamento do monotrilho da Linha 15-Prata, que atende diariamente das 7h às 19 horas.

Para mais informações sobre a operação da rede metroviária, os usuários têm à disposição a Central de Informações do Metrô (tel. 0800 770 7722), que funciona todos os dias, das 5h30 às 23h30. Já a Central de Atendimento da ViaQuatro atende pelo tel. 0800 770 7100 de segunda a sexta-feira, das 6h30 às 22 horas, e aos sábados e domingos, das 8h às 18 horas.

Ciclistas e bikes no Metrô
Nesta sexta-feira (20), feriado do Dia da Consciência Negra, os ciclistas podem transportar suas bikes no sistema metroviário durante todo o dia. 

Os ciclistas ao usar o Metrô, deverão respeitar as regras em vigor, como o limite permitido de até quatro bikes por trem, sempre utilizando o último vagão. Vale ressaltar que não é permitido o transportes das bicicletas ao descer pelas escadas rolantes ou ao fazer uso dos elevadores. 

Vimos no Metrô/SP

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Alckmin anuncia concessão de Monotrilho, Ônibus e Aeroportos

Imagem: Sergio Mazzi

O Governador Geraldo Alckmin, em entrevista a rádio Jovem Pan, anunciou um pacote de concessões para o setor de infraestrutura no Estado de São Paulo, com investimentos na ordem de R$ 13,4 bilhões. O conjunto de concessões deve englobar aeroportos, ônibus intermunicipais, metrô, monotrilho e rodovias:

Aeroportos
Ao todo cinco aeroportos serão passados para a iniciativa privada, todos eles executivos, sendo as estruturas de Jundiaí, Campinas, Itanhaém, Ubatuba e Bragança Paulista.

Ônibus intermunicipais
Também cinco regiões devem ser concedidas para a iniciativa privada, algumas delas que já começaram a passar por este processo, como o caso da Baixada Santista. Alckmin incluiu os sistemas de Campinas, Ribeirão Preto, Bauru e São José do Rio Preto.

Metrô
Alckmin confirmou a concessão da Linha 5-Lilás, informando que o estado deve concluir as obras, e depois passar para a iniciativa privada, esta que por sua vez tocará a operação.

Monotrilho
A novidade no setor de transportes e a concessão do Monotrilho da Linha 17-ouro, em obras no trecho entre o Aeroporto de Congonhas e a Estação Morumbi da CPTM. O Governador não deu maiores detalhes sobre esta concessão.

Rodovias
O Governador afirma que 2.217 quilômetros de rodovias devem ser concedidos, e destacou algumas ampliações, entre elas a Regis Bittencourt até as proximidades do Porto de Santos, passando por Pedro de Toledo.

Prazos
Alckmin diz que até março do ano que vem deve iniciar o processo licitatório das concessões.
 
Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Governo Estadual estuda “casar” concessão das Linhas 5 e 17

Imagem: Sergio Mazzi

O Governo do Estado de São Paulo avalia “casar” a concessão da Linha 5-Lilás do Metrô com o monotrilho da Linha 17-Ouro. A informação é do Secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissione, em entrevista a Revista Brasil Engenharia.

“O governo, por meio de seu comitê de PPP, é que vai estudar isso”, explica o Secretário. Pellisione diz ainda que o setor privado poderia assumir novos investimentos no monotrilho que ligará o aeroporto de Congonhas com a rede metroferroviária, como por exemplos as extensões.

Atualmente o monotrilho da Linha 17 encontra-se em obras do trecho do aeroporto até a estação Morumbi da CPTM, esta ultima que terá que ser licitada novamente por conta do adensamento da região (leia mais), onde esta previsto uma estação de maior porte, em comparação da que estava projetada anteriormente.
Existem projetos de levar o monotrilho rumo a Estação São Paulo-Morumbi, encontrando com a Linha 4-Amarela, e na outra ponta rumo ao Jabaquara, na Linha 1-Azul.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Governo deve relicitar Estação Morumbi do monotrilho da Linha 17

Foto: Ricardo Meier

Quem passa diariamente pela Marginal Pinheiros, nas imediações da Ponte Morumbi, já deve ter notado que a estação do Morumbi, da linha 9 da CPTM, ainda continua do mesmo jeito de sempre, sem nenhuma obra para acomodar a futura conexão com a linha 17 – ouro. Nota também que há muitas vigas do monotrilho porém, perto da estação, há um vazio, sem nada. Por que as demais estações da linha 17 – ouro seguem avançando, mas a Morumbi não sai?

O secretário estadual dos transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni., informa o porque. Em entrevista a Revista Brasil Engenharia, ele diz que a estação do monotrilho terá que ser relicitada.

O novo projeto abrigará uma estação maior e haverá uma maior integração com as duas linhas. No projeto original, seria construída uma pequena estação ao lado da atual da CPTM, mas o Metrô chegou à conclusão que o adensamento da região, com inúmeros prédios comerciais, deve aumentar a demanda de passageiros, o que exigirá uma nova parada, ao sul da atual. A licitação deve ser lançada nos próximos meses.

Clodoaldo ainda cita o pátio como “ponto crítico” da obra da linha 17. O patio está sendo construído em cima de um piscinão, localizado no fim da Avenida Roberto Marinho, e exigiu a cravação de mil estacas e uma estrutura elevada com dois andares para manutenção dos trens.

Previsto inicialmente para ser entregue para a Copa de 2014, a nova previsão da primeira fase da linha 17 está para 2017. Será que será possível mediante tantos obstáculos?

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

CPTM terá corte de investimento de 45% em 2016, segundo jornal

O corte em investimentos para o ano de 2016 também deve atingir os trens da CPTM, além de obras do Metrô de São Paulo.

Segundo levantamento feito pela imprensa, entre eles o da TV Globo, o governo do estado de São Paulo vai reduzir em R$ 350 milhões os investimentos de modernização da CPTM no ano de 2016, de acordo com proposta do Orçamento enviada pela gestão Geraldo Alckmin à Assembleia Legislativa, representando uma redução de 45%, segundo estas projeções.

O Governo estadual, no entanto, contesta os dados, levando em conta as aquisições de trens e obras de expansão e modernização. As obras de modernização estarão mantidas, segundo ainda a administração estadual. Entre os motivos da redução está a queda na arrecadação. Algumas obras de reconstruções de estações também estão atrasadas, por conta de atrasos de recursos do governo federal.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Tatuzão chega à estação Santa Cruz

O maquinário Shield, popularmente conhecido como Tatuzão, chegou a futura estação Santa Cruz da Linha 5-Lilás, onde a ligação entre o Capão Redondo e a Chácara Klabin, deve integrar com os trens da Linha 1-Azul.

O equipamento saiu da estação Hospital São Paulo no ultimo dia 4 de setembro, e agora deve ficar estacionado na Santa Cruz por um tempo para manutenção, antes de seguir para a última estação. As inaugurações das estações estão previstas para 2017/2018.

A linha 5-Lilás deve ser concedida a iniciativa privada nos próximos meses, e o Governo Estadual já sinalizou que existe a possibilidade da concessionária que for operar a linha tocar obras de extensão ao Sul, da Estação Capão Redondo rumo ao bairro do Jardim Ângela.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Orçamento de 2016 prevê queda de investimentos no Metrô de São Paulo

O Governo do Estado de São Paulo enviou a Assembleia Legislativa a proposta de Orçamento do Estado para o próximo ano. Segundo projeções feitas pelo jornal “O Estado de São Paulo”, comparando com 2015, o valor destinado para a ampliação do Metrô seria 28% menor já considerado a inflação do perído, representando corte de R$ 1 bi em investimentos.

A Secretaria dos Tranpsortes Metropolitanos não concorda com o percentual apontada pela reportagem, mas diz que somando com os investimentos feitos pela própria secretaria no metrô admite uma queda, que seria de 5%, sem contar a inflação.

O Metrô lembra que desde 2010 já inaugurou 16km de extensão da rede e 13 novas estações. E que neste período houve um aumento de 1 milhão de passageiros.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obras de modernização alteram circulação dos trens da CPTM neste final de semana (14 e 15/11)

Neste fim de semana, 14 e 15 de novembro, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) realizará obras de modernização em cinco das seis linhas. Em razão Grande Prêmio de Fórmula I, não haverá intervenções na Linha 9-Esmeralda, que atende a estação Autódromo, em Interlagos. No domingo, dia 15, para facilitar a viagem dos estudantes que farão o vestibular da Unesp, as obras começarão depois das 13h.  Confira a programação e antecipe sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, haverá obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Perus e Caieiras.  O intervalo médio será de 15 minutos entre as estações Luz e Pirituba e, entre Pirituba e Francisco Morato, de 30 minutos. 

Domingo: das 13h até meia-noite, haverá continuação das obras de modernização no sistema de rede aérea no trecho entre Perus e Caieiras. O intervalo médio entre as estações Luz e Pirituba será de 15 minutos e, entre Pirituba e Francisco Morato, de 30 minutos. 

Extensão Linha 7-Rubi (Francisco Morato – Jundiaí)

Domingo: das 13h às 20h, as intervenções ocorrerão nos equipamentos de via permanente nas proximidades da Estação Botujuru. O intervalo médio entre as estações Francisco Morato e Jundiaí será de 30 minutos.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, serão realizados serviços nos equipamentos de via permanente entre as estações Jandira e Itapevi. O intervalo médio entre as estações Júlio Prestes e Barueri será de 10 minutos e, de Barueri a Itapevi, de 20 minutos.

Domingo:  das 13h até meia-noite, os serviços nos equipamentos de via permanente prosseguirão no trecho entre Jandira e Itapevi. O intervalo médio entre as estações Júlio Prestes e Barueri será de 10 minutos e, de Barueri a Itapevi, de 20 minutos.

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 13h até meia-noite, haverá intervenções nos equipamentos de via permanente no trecho inoperante entre as estações Luz e Brás. O intervalo médio será de 12 minutos em toda a linha.

Linha 11-Coral / Expresso Leste (Luz – Guaianases)

Domingo: das 13h até meia-noite, serão executados serviços no sistema de rede aérea nas imediações da Estação Tatuapé. O intervalo médio entre as estações Luz e Guaianases será de 20 minutos.

Extensão Linha 11-Coral (Guaianases – Estudantes)

Domingo: das 13h às 21h, ocorrerão obras de reforma da Estação Poá. Das 21h até meia-noite, em razão dos serviços de manutenção entre as estações Luz e Guaianases, o intervalo médio entre as estações Guaianases e Estudantes será de 20 minutos.

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, haverá obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Engº Goulart e Comendador Ermelino, e entre Itaquaquecetuba e Aracaré. O intervalo médio será de 35 minutos em toda a linha.

Domingo: das 13h até meia-noite, as intervenções ocorrerão nos equipamentos de via permanente nas proximidades da Estação Brás. Também haverá obras de modernização no sistema de rede aérea entre Engº Manoel Feio e Aracaré. O intervalo médio entre as estações Brás e Engº Manoel Feio será de 20 minutos e, de Engº Manoel Feio a Calmon Viana, de 28 minutos.

Desafio: A CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.

Vimos na CPTM

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Suspensão de Licitação dos transportes é procedimento rotineiro, diz SMT

Após o Tribunal de Contas do Município ter suspendido por 10 dias a licitação dos transportes, a Secretaria Municipal de Transportes informou em nota ao Portal Via Trolebus que o procedimento é corriqueiro.

“Sobre a decisão do Tribunal de Contas do Munícipio (TCM) para suspender, por dez dias, a abertura dos envelopes da nova licitação de ônibus, a Prefeitura informa que este é um procedimento previsto, considerando-se que está em análise um contrato com validade de vinte anos”, diz nota da Secretária.
A administração municipal diz ainda que “está disposta a acatar as recomendações que estejam de acordo com o aperfeiçoamento do edital”.

A SMT diz ainda que o novo modelo vai aumentar a oferta de viagens em 17% na comparação com o sistema atual, e  propiciar ainda o aumento de 14% de assentos disponíveis nos ônibus, com a entrada de veículos maiores como os superarticulados e redução da presença de veículos como miniônibus na frota.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Linha 11 Coral operou ontem com restrições após descarrilamento de trem

Fotos: @Linha11CoralGD

Um trem descarrilou na Linha 11-Coral da CPTM no final de tarde desta quinta-feira, 12 de novembro de 2015, de acordo com informações do perfil @Linha11CoralGD no twitter.

A composição saiu dos trilhos nas imediações da Estação da Luz, e o trecho do Expresso Leste operava com restrições, segundo o perfil que faz parte do Grupo Diário. Por volta das 19h00 a situação havia sido normalizada.

cptm2

Pane durante a manhã 
Reportagem do jornal Bom dia Brasil, a CPTM não informou uma pane ocorrida durante a manhã, também na Linha 11. A empresa dispõe em seu site o status das linhas, e de acordo com a reportagem, mesmo com o problema ocorrido no Expresso leste, nada foi relatado no site oficial.

A reportagem usou como base o relato de um telespectador, que enviou um vídeo onde um trem apresentava superaquecimento. Segundo ainda a reportagem, o problema foi ocorrido por volta das 6h20 da manhã, e o site só informou às 8h10.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

TCM suspende abertura de envelopes em licitação de ônibus em São Paulo

Prefeitura lançou em outubro editais para contratar empresas por 20 anos. Segundo o Tribunal de Contas, suspensão vale por 10 dias.

O Tribunal de Contas de São Paulo (TCM) suspendeu a abertura dos envelopes com as propostas das empresas interessadas em operar o serviço de ônibus da capital paulista pelos próximos 20 anos e que participam das licitações abertas pela Prefeitura de São Paulo em outubro.

A decisão foi tomada na quarta-feira (11) e vai suspender a licitação por dez dias. Ou seja, a abertura dos envelopes previstas para os próximos dias 18 e 19 não irá acontecer nessas datas.

A assessoria de imprensa do Tribunal de Contas não divulgou os motivos da suspensão. Afirmou apenas que questionamentos levantados pelo relator, o conselheiro Edson Simões, seriam enviados à Secretaria Municipal de Transportes.

O TCM já suspendeu diversas licitações da Prefeitura de São Paulo na área de transportes, como a construção de corredores de ônibus e a compra de radares.

Licitação
A licitação lançada em outubro prevê um aumento no número de viagens em 17% - das atuais 186 mil para 217 mil. A ideia é otimizar o sistema e reduzir o número de ônibus nas ruas. O número de veículos operando vai cair em quase 2 mil unidades. Serão 12.898 ônibus, menos que os atuais 14.812, uma redução de 13%.
A melhor administração do serviço pretendida pela administração municipal passa pela nova divisão do serviço em três sistemas: estrutural, regional e local - por isso, são três licitações. A rede “estrutural” será responsável por linhas que ocuparão as maiores avenidas da cidade e que ligarão os bairros da cidade e vão conectar a periferia ao Centro. Nessa rede, a Prefeitura quer usar de forma intensa os ônibus biarticulados com grande capacidade.

A Prefeitura estima que o novo serviço vai oferecer 14% mais lugares do que a atual frota - um aumento de 996 mil para 1,1 milhão.

Veja outras mudanças previstas no sistema de ônibus com as novas licitações.

Wi-Fi e ar-condicionado
Todos os ônibus terão que ter Wi-Fi e ar-condicionado.

Viagens
A Prefeitura prevê aumentar a oferta de viagens em 17% e o número de assentos disponíveis em 14%.

Garagens
As atuais garagens usadas pelas empresas de ônibus serão desapropriadas. Segundo o prefeito Haddad, as empresas vencedoras da nova licitação poderão ser responsáveis pelo processo de desapropriação.

Opinião do usuário
A opinião do usuário deverá ser considerada na remuneração das empresas. Ela vai ser considerada ao lado de quesitos como passageiros transportados; cumprimento regular das viagens e disponibilidade da frota. As ganhadoras da licitação serão aquelas que ofereceram valores mais atrativos pela realização do serviço.

Remuneração das empresas
A Prefeitura de São Paulo prevê gastar R$ 7 bilhões por ano com o serviço. A previsão é que a taxa interna de retorno das empresas em relação ao investimento feito seja de 9,97%, menor que os 15% do atual contrato.

Centro de controle
Tudo será controlado eletronicamente por dispositivos instalados nos ônibus e por um centro de controle (CCO) a ser construído pelas empresas.

Auditoria
Após junho de 2013, a Prefeitura de São Paulo fez uma auditoria dos contratos de ônibus.  A empresa de consultoria Ernst&Young, contratada para o trabalho, concluiu que a Prefeitura de São Paulo tem potencial de economizar 7,4% dos gastos do atual contrato.

Vimos no G1

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Governo Federal tenta tirar Ferroanel do papel

Foto: Willian Molina

Promessa desde 2008, o Ferroanel deve ter mais um capítulo escrito para a sua história. Difícil de sair do papel, o Governo Federal tenta agora uma nova maneira (a terceira) para que o projeto avance.

A primeira tentativa foi em 2008 onde a ideia era uma parceria entre os governos federal e estadual para viabilizar financeiramente o projeto, com participação da MRS. Depois, em 2012, a presidente Dilma Rousseff incluiu o projeto no Programa de Investimento em Logística onde o modelo previa que a iniciativa privada construísse o ramal e a estatal Valec teria o direito de compra de uso dos trilhos. O modelo, como sabemos, não vingou.

Como já foi citado no Via Trolebus, a MRS quer prorrogar seu contrato de concesão que vence em 206 por mais 30 anos e o Governo Federal deve propor que, como contrapartida, a concessionária construa o ramo norte do Ferroanel que ligará a cidade de Campo Limpo Paulista, com trens vindo de Campinas, a Engenheiro Manoel Feio, seguindo rumo ao Porto de Santos. O trajeto, com 52 km de extensão, faria com que os trens não usassem mais os trilhos da CPTM, que hoje só podem ser usados por trens de carga em horários reduzidos.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Chega ao fim a Greve de ônibus em Guarulhos nesta quarta (11)


Chegou ao fim a Greve de ônibus na cidade de Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo, por volta das 6h00 da manhã desta quarta-feira, 11 de novembro de 2015. As informações são do Blog Ponto de ônibus.

Os trabalhadores das empresas Viação Atual e Viação Campo dos Ouros decidiram voltar ao trabalho após Assembleia ocorrida ainda pela madrugada. Mas, os prestadores de serviço prometem voltar a paralisar as atividades caso não sejam pagos os benefícios atrasados.

A greve atingiu mais de 30 linhas entre municipais e intermunicipais, onde circulam 323 ônibus, que atendem a 130 mil passageiros por dia.

Depois das 6 da manhã a circulação estava sendo retomada em todas as linhas.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Passeio de trem em São Paulo oferece degustação de cerveja

No próximo dia 14, sábado, ocorrerá a primeira edição do “Trem da Cerveja Belga”, com degustação de cerveja ,em São Paulo. O trem partirá da estação da Luz às 8h30 com destino a estação Sabaúna. O retorno está previsto para as 18h.

O passeio custa R$ 314,00 e inclui, além das passagens e degustação de cerveja, kit com três tipos de cervejas, uma caneca de vidro personalizada, seguro viagem, seguro responsabilidade civil e serviço de bordo. Crianças menores de 4 anos não pagam.

O passeio é inspirado em um modelo que é já é feito em Curitiba, lá chamado de “Beer Train”. “Em São Paulo o programa envolve a retomada do trem como passeio em São Paulo e inclui a degustação das melhores cervejas belgas”, afirma Gabriel Cordeiro, gerente-geral da BWT Operadora, agência responsável pelo passeio.

Sabaúna tem ligação com a Bélgica pois foi colonizada pelos belgas e foi cidade base da seleção belga na Copa do ano passado. É um distrito de Mogi das Cruzes e em ganhou fama nacional em 1954 quando na estação ocorreu o famoso episódio do assalto ao trem pagador, sendo o maior assalto ocorrido no país até então.

O distrito ganhou uma estação em 1893, sendo que o atual prédio é a maior atração turística do distrito, sendo sede da Associação Nacional de Preservação Ferroviária. Os trens de passageiros serviam ao distrito até 1986, ano que foi encerrado o serviço de trens entre Mogi das Cruzes e São José dos Campos.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

CPTM implanta operação especial na Linha 9-Esmeralda para GP de Fórmula 1

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) programou esquema especial de operação na Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú), no próximo domingo (15), dia do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, no Autódromo de Interlagos.  Os intervalos serão reduzidos e as obras de modernização estarão suspensas nesta linha no fim de semana.

No período das 6h30 às 14h30, entre as estações Pinheiros e Grajaú e, das 16h até às 18h, entre as estações Pinheiros e Autódromo, os trens circularão com intervalos médios de 5 minutos. Além disso, para atender o aumento de demanda esperado no fim da corrida, à tarde, haverá trens vazios saindo a partir da Estação Autódromo. 

Na sexta-feira, 13, dia do primeiro treino livre não haverá alteração na grade de intervalos, uma vez que nos dias úteis, os trens circulam na Linha 9-Esmeralda com intervalos de 4 minutos (nos horários de pico) e 7 minutos (nos horários de vale). Já no sábado, 14, das 6h às 18h, o intervalo será de 7 minutos, em média, e sem obras de modernização nessa linha.

A Estação Autódromo fica a 600 metros do portão de acesso ao Setor G do Autódromo de Interlagos. Haverá orientadores bilíngues para prestar informações aos turistas estrangeiros, além do atendimento aos torcedores de outras regiões.  A estação contará também com placas e avisos sonoros com informação em inglês e português.

Vimos na CPTM

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Comitiva vai vistoriar Linha 15 para futuros trabalhos na Linha 18

Foto: Metrô de São Paulo

Visando minimizar possíveis problemas de execução em obras na Linha 17-Ouro e 18-Bronze, uma comissão deve vistoriar obras do monotrilho da Linha 15-Prata, cujo as construções estão mais avançadas e com um trecho em operação de 2,9 quilômetros entre a Vila Prudente e a Estação Oratório.

O comitiva será formada por técnicos e integrantes da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara Federal, entre eles o deputado Alex Manente. Entre as questões que estão sendo observadas é a trepidação dos veículos.

“Estamos em processo de aprendizado com a Linha 15, pois trata-se de uma nova tecnologia. Ela não opera em 100%. Aí teremos de começar com a Linha 17, que é outro modelo, pois não há padronização e não é o mesmo fornecedor (empresas contratadas são diferentes). Também haverá avaliações e adaptações no funcionamento. Como iremos começar a Linha 18 desse jeito? É melhor atrasar um pouco, mas fazer direito”, disse o secretário nacional de Transportes e de Mobilidade Urbana, Dario Rais Lopes.

Impasse
Governos Federal e Estadual trocam acusações referente ao andamento das obras da Linha 18. O Governo Federal disse que o Estado não deu garantias referente as desapropriações, e que esta medida é crucial para liberação de recursos federais. Já o Governo Estadual diz que a união não enviou recursos para dar prosseguimento ao processo de desapropriação.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Greve de ônibus em Guarulhos e região

Funcionários da Viação Atual e da Campos dos Ouros cruzaram os braços - Foto: Fábio Lima

Uma paralisação de funcionários das empresas Viação Atual e Viação Campos dos Ouros afeta passageiros de ônibus em Guarulhos e cidades vizinhas.

Os funcionários das duas companhias, que são do mesmo grupo, se queixam de atrasos nos pagamentos.
São afetadas 21 linhas de ônibus intermunicipais e 8 municipais em Guarulhos. No total, são 323 ônibus parados.

O grupo empresarial e sindicato devem se reunir ainda nesta terça-feira para tentar um acordo e acabar com a paralisação.


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Justiça suspende multa a consórcio que tocava obra da linha 4

A Justiça de São Paulo suspendeu, em caráter provisório, as multas milionárias impostas pelo Governo do Estado de São Paulo ao consórcio espanhol Isolux Corsán-Corviam que estava responsável pelas obras da linha 4 – amarela do Metrô. A gestão Alckmin decidiu cancelar o contrato devido o ritmo das obras estarem praticamente parado.

O valor das multas chegam a R$ 23,5 milhões. O consórcio estava responsável pela construção das estações Oscar Freire, Higienópolis-Mackenzie, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia. Somente a Fradique foi entregue. O Metrô diz que vai recorrer da decisão.

Segundo a decisão do desembargador Rubens Rihl, da 8ª Câmara de Direito Público, acatou a argumentação do consórcio de que há chance de “dano irreparável decorrente das penalidades aplicadas”, que incluem ainda o impedimento de contratar com a administração pública por um período de dois anos.
O consórcio pediu na Justiça que um tribunal arbitral previsto em contrato analise valores de indenizações do rompimento de contrato. Já o Metrô argumentou que a própria Justiça pode decidir sobre o tema.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Prefeitura de São Paulo autoriza passe livre para desempregados

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, publicou decreto nesta terça, 10, autorizando a criação do Bilhete Único Especial do Trabalhador Desempregado. O passe livre terá uma duração de 90 dias e poderá ser solicitado no período de até três meses após o fim do recebimento do seguro-desemprego, concedido por um período que varia de três a cinco meses.

Ainda será definido a quantidade de embarques diários permitidos. Depois dos 3 meses, o bilhete não poderá ser renovado. O BU será cancelado caso seja comprovado que está sendo utilizado incorretamente ou se o cidadão conseguiu um emprego.

O Governo do Estado já possui projeto semelhante para o Metrô e CPTM. A gestão Haddad não esclareceu se a concessão do novo benefício vai impactar na concessão de subsídios para as empresas de ônibus.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Sindicato descarta greve e questiona redução de número de ônibus

O Sindicato que representa os trabalhadores do sistema de ônibus da cidade de São Paulo descartou a possibilidade de greve por conta de possíveis demissões sobre a retirada de cobradores em linhas de corredores.

De acordo com o presidente do Sindimotoristas, Valdevan Noventa em entrevista ao Blog Ponto de Ônibus do jornalista Adamo Bazani, a entidade deve pressionar ainda mais a prefeitura de São Paulo a respeito da questão e seguir com a briga na Justiça, para manter a decisão que hoje é favorável a permanência destes profissionais nos postos de trabalho.

Noventa fez críticas duras a administração do prefeito Fernando Haddad, dizendo que os trabalhadores não podem ser penalisados. “Os trabalhadores não podem pagar pela situação. A prefeitura não tem como bancar os benefícios do Bilhete Único, com as integrações, e mais pessoas andando sem pagar, com gratuidade. Não pode enxugar a conta jogando nas costas dos trabalhadores” – disse.

O líder sindical afirma também que até 25 mil trabalhadores podem perder emprego, caso esta medida seja levada a diante. “Não dá para pensar um ônibus, seja padron, articulado, biarticulado só com o motorista para cuidar de tudo. A lei 13.207 fala de um segundo funcionário dentro do ônibus. O cobrador hoje ajuda o motorista em caso de acidentes, ajuda os passageiros, se alguém passar mal dentro do ônibus, dá informação”, disse Noventa.

O presidente do Sindicato diz ainda que a redução da frota, proposta na nova licitação, pode retirar dez mil postos de trabalho entre motoristas, cobradores, fiscais e mecânicos.

A prefeitura por sua vez, afirma que não haverá demissões, que a retirada dos cobradores poderia reduzir pela metade os subsídios pagos às empresas de ônibus, que estão em torno de R$ 1,9 bilhão, e que nas linhas estruturais que prestarão serviços nos corredores, o embarque antecipado deve agilizar as partidas dos coletivos, uma vez que os passageiros não ficarão retidos na catraca, sem a presença dos cobradores.
Sobre a redução no número de ônibus, a administração diz que menos veículos, porém maiores, evitarão sobreposição de linhas e filas de coletivos, além da aumentar a velocidade dos ônibus.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

​Obras de modernização alteram a circulação dos trens da CPTM neste final de semana (07 e 08/11)

Neste fim de semana, 7 e 8 de novembro, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) intensificará as obras de modernização em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos. Confira a programação e antecipe sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)

Sábado: das 21h até o fim da operação comercial, serão realizadas obras de modernização no sistema de rede aérea nas imediações da Estação Franco da Rocha. O intervalo médio será de 15 minutos entre as estações Luz e Caieiras e, de Caieiras a Francisco Morato, de 30 minutos.

Domingo: das 4h até meia-noite, serão retomadas as obras de modernização no sistema de rede aérea nas proximidades da Estação Franco da Rocha. Das 8h30 às 17h, também haverá serviços de infraestrutura na Estação da Luz. O intervalo médio entre as estações Luz e Caieiras será de 15 minutos e, entre Caieiras e Francisco Morato, de 30 minutos.

Extensão Linha 7-Rubi (Francisco Morato – Jundiaí)

Domingo: das 4h às 16h, as intervenções ocorrerão no sistema de rede aérea entre as estações Várzea Paulista e Jundiaí. O intervalo médio entre as estações Francisco Morato e Jundiaí será de 30 minutos.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Domingo:  das 9h às 19h, haverá serviços no sistema de rede aérea e nos equipamentos de via permanente entre as estações Carapicuíba e Barueri, Jandira e Engº Cardoso, e nas proximidades da Estação Jardim Belval. O intervalo médio entre as estações Júlio Prestes e Carapicuíba será de 15 minutos e, de Carapicuíba a Itapevi, de 30 minutos.

Das 4h às 9h e das 19h até meia-noite, os trabalhos estarão concentrados no sistema de rede aérea no trecho entre Carapicuíba e Barueri. O intervalo médio entre as estações Júlio Prestes e Carapicuíba será de 10 minutos e, de Carapicuíba a Itapevi, de 20 minutos.

Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú)

Domingo: das 10h às 19h, as intervenções acontecem nos equipamentos de via permanente entre as estações Jurubatuba e Grajaú. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Osasco e Jurubatuba e, de Jurubatuba a Grajaú, de 20 minutos.

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 8h às 16h, os serviços se concentram nos equipamentos de via permanente entre as estações Mauá e Rio Grande da Serra. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Brás e Mauá e, de Mauá a Rio Grande da Serra, de 20 minutos.

Linha 11-Coral / Expresso Leste (Luz – Guaianases)

Domingo: das 7h às 21h, as intervenções serão executadas nos equipamentos de via permanente entre as estações Brás e Tatuapé. O intervalo médio entre as estações Luz e Guaianases será de 15 minutos.

Extensão Linha 11-Coral (Guaianases – Estudantes)

Domingo: das 7h às 21h, as obras de reconstrução da nova Estação Suzano serão intensificadas. O intervalo médio entre as estações Guaianases e Estudantes será de 22 minutos.

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Domingo: das 4h até meia-noite, haverá serviços nos equipamentos de via permanente entre as estações Tatuapé e Engº Goulart, e obras de modernização no sistema de rede aérea entre Engº Manoel Feio e Calmon Viana. Em toda a linha, intervalo médio de 30 minutos.

Desafio: A CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.

Vimos na CPTM

Comentários
0 Comentários

0 comentários: