380 Move Metrópole | Sempre em movimento!: Janeiro 2016

Obras de modernização alteram circulação dos trens da CPTM neste fim de semana, 30 e 31 de janeiro

Neste fim de semana, 30 e 31 de janeiro, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) prosseguirá com as obras de modernização em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos. Confira a programação e antecipe sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)

Domingo: das 4h até meia-noite haverá obras de modernização no sistema de rede aérea e na via permanente. Os trens da Linha 7 circularão até a Estação Brás. O intervalo médio entre as estações Brás e Pirituba será de 15 minutos e, entre as estações Pirituba e Francisco Morato, de 30 minutos.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Domingo: das 4h até meia-noite, as intervenções ocorrerão no sistema de rede aérea e na via permanente as estações Carapicuiba e Barueri. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Júlio Prestes e Carapicuíba e, entre as estações Carapicuíba e Itapevi, de 20 minutos.

Das 08h às 20h, também serão realizados serviços nos equipamentos de via permanente entre as estações Jandira e Itapevi. Nesse período o intervalo médio será de 15 minutos entre as estações Júlio Prestes e Carapicuíba e, entre as estações Carapicuíba e Itapevi, de 30 minutos.

Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú)

Domingo: das 9h às 16h ocorrerão serviços no sistema de sinalização entre as estações Osasco e Presidente Altino. A circulação ficará interrompida entre essas estações. Para completar a viagem, o usuário deverá utilizar os trens da Linha 8-Diamante. Entre as estações Presidente Altino e Grajaú, o intervalo será de cerca de 20 minutos.

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 7h às 17h ocorrerão serviços na via permanente entre as estações Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Brás e Mauá e, entre as estações Mauá e Rio Grande da Serra, de 20 minutos.

Linha 11-Coral / Expresso Leste (Luz – Guaianases)

Sábado:
das 20h até meia-noite, as intervenções serão realizadas na via permanente entre as estações Tatuapé e Corinthians-Itaquera. O intervalo médio será de 20 minutos entre as estações Luz e Guaianases.

Domingo: das 04h até meia noite, serão executados serviços na passarela, localizada nas proximidades da Estação Brás. A circulação ficará interrompida entre as estações Brás e Luz. Para seguir viagem até a Luz, o usuário deverá utilizar os trens da Linha 7-Rubi.

Das 04h às 19h, as intervenções serão realizadas na via permanente entre as estações Tatuapé e Corinthians-Itaquera. O intervalo médio será de 20 minutos entre as estações Brás e Guaianases.

Extensão Linha 11-Coral (Guaianases – Estudantes)

Domingo: das 4h às 19h ocorrerão serviços na via permanente entre as estações Guaianases e Antonio Gianetti Neto. O intervalo médio será de 20 minutos entre as estações Guaianases e Estudantes.

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Sábado e Domingo: das 20h de sábado até meia-noite de domingo haverá obras de modernização no sistema de rede aérea e via permanente entre as estações USP-Leste e Comendador Ermelino. O intervalo médio será de 35 minutos em toda a linha.

Desafio: A CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.

Vimos na CPTM

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

CPTM quer aumentar viagens do Expresso Leste

Com prazo adiado pela quarta vez, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) postergou a entrega da Estação Suzano, da Linha 11-Coral. De acordo com o presidente da companhia, Paulo Magalhães, a entrega ficou para fevereiro. 

“A gente tem alguns itens que dependemos do tempo, de chuva e que acabam atrapalhando, mas são questão de dias o principal é que na segunda-feira a gente já começa a fazer a limpeza grossa aqui da estação e os acabamentos”, explicou Paulo em um comunicado a imprensa.

Expresso Leste
A Companhia estuda o aumento de viagens do Expresso Leste, entre a Luz e Estudantes, sem que o passageiro tenha que trocar de trem em Guaianazes. 

“Foram adquiridos 65 novos trens, em dois lotes. Do primeiro lote, já recebemos nove trens, que estão em fase de testes. Dependendo da entrega dessas composições, vamos começar a incrementar a frota e avaliar a questão da ampliação do Expresso Leste. De imediato, estamos estudando um incremento de 10% a 20%. Mas está em processo de estudo”, disse o presidente da CPTM. Hoje o Expresso Leste opera com 24 viagens diárias em dias úteis, sendo 12 em cada sentido.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

VLT custará R$ 3,80 e passagens serão vendidas em 13 locais.

Veículos começarão a rodar neste domingo (31) (Foto: Carol Fariah/Prefeitura de Santos)

Os valores do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) estão sendo alterados antes do início de sua operação comercial. Em janeiro de 2014, o valor previsto era de R$ 3,20. No entanto, conforme informado nesta sexta-feira (29) pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos, a tarifa custará R$ 3,80.

O VLT, que percorrerá Santos e São Vicente, tem seu início previsto para este domingo (31) e terá 13 pontos de venda de cartões de embarque. O sistema irá funcionar todos os dias, das 9h às 16h, até 30 de março. De 31 de março a 31 de setembro, o horário será estendido, das 7h às 19h. Após isso, ficará das 6h às 23h.

Os usuários do transporte terão acesso ao cartão de embarque, que é recerragável e de uso pessoal, obtido apenas por meio de cadastro nas lojas. Para fazer o cartão, é importante comparecer nas lojas com RG e CPF. A recarga mínima para o cartão é de duas passagens. Além disso, também existirá o cartão unitário (com apenas uma passagem). Esses cartões serão vendidos nas lojas, pontos de venda terceirizados e nas próprias estações com os agentes.

Já o cartão sênior é para os usuários com mais de 60 anos. Para obtê-lo o cadastro deve ser feito no site. A retirada do cartão pode ser feita em uma das lojas credenciadas.

Além dos 13 pontos de venda, inicialmente existirão três lojas credenciadas para cadastro, recarga, venda do cartão unitário e retirada do cartão sênior:

São Vicente
• Piracicabana – Shopping Brisamar
Endereço: Rua Frei Gaspar, 365 - Centro - São Vicente
Loja 106 - Piso Térreo
Horário de atendimento: de segunda a sábado, das 10h às 22h.
Domingo, das 14h às 22h para os serviços de: carregamentos, 1ª via, compra de créditos e cancelamentos.
De segunda a sexta das 11h às 20h para os serviços de 2ª via e cartão Senior.

Santos
• Piracicabana - Rodoviária
Endereço: Praça dos Andradas, nº 45 - Centro - Santos
Horário de Atendimento: de segunda a Sexta-feira, das 7h às 20h.
Sábado, das 7h às 14h, para os serviços de carregamentos, 1ª via, compra de crédito e cancelamentos.
De segunda a sexta, das 8h às 19h para os serviços de 2ª via e Senior.

Praia Grande
•Piracicabana – Terminal Tude Bastos
Endereço: Avenida dos Trabalhadores, s/n - Sítio do Campo
Horário de Atendimento: de segunda a domingo, das 4h30 à 0h20 para os serviços de carregamento, 1ª via, compra de créditos e cancelamentos.
De segunda a sexta das 7h às 19h para os serviços de: 2ª via e Sênior.

Confira abaixo os pontos de venda onde será possível adquirir o cartão de embarque:

São Vicente
• Banca Daniel - Av. Quintino Bocaíuva, 460 - Boa Vista
Horário de funcionamento: segunda a sábado das 07h ao 12h e 14h às 17h / Domingo das 07h às 14h
Próximo à estação José Monteiro (45 metros)

• Silva Liberato Mini Mercado Ltda
Rua Dr Jose Francisco Valença, 151 - Itararé
Horário de funcionamento: segunda a sexta das 08h às 20h / Sábado das 08h às 14h
Próximo à estação João Ribeiro (140 metros)

• Mini Mercado Tapetão De Ouro
Av. Manoel Da Nóbrega , 1238 - Itararé
Horário de funcionamento: segunda a sábado das 06h às 21h30
Próximo à estação Itararé (450 metros)

• Banca Mota E Silva
Av. Manoel De Nobrega 1483 - Itararé
Horário de funcionamento: Todos os dias das 06h às 17h
Próximo à estação Itararé (190 metros)

• Empório BRA
Av. Nª Srª Das Graças , 06 - Vila Valença
Horário de funcionamento: todos os dias das 06h às 22h
Próximo à estação Nossa Senhora Das Graças (80 metros)

• Bar e Restaurante 839
Av. Marechal Deodoro, 839 - Vila Valença
Horário de funcionamento: segunda a sábado das 08 às 22h
Próximo à estação Nossa Senhora Das Graças (350 metros)

• Ciclo E S R
Rua XV De Novembro,694 - Centro
Horário de funcionamento: segunda a sexta das 08 às 19h / sábado das 08h às 18h
Próximo à estação Transferência São Vicente (350 metros)

• Farmácia de Manipulação Eucalyptus
Rua Campos Sales ,384 - Centro
Horário de funcionamento: segunda a sexta das 09 às 19h / sábado das 09h às 13h
Próximo à estação Transferência São Vicente (200 metros)

• JM Materiais para Construção
Rua Marechal Candido M.Rondon, 369 - Vila Margarida
Horário de funcionamento: segunda a sábado das 08 às 18h
Próximo à estação Mascarenhas (200 metros)

• Panificadora Ki Delicia
Av. Marechal Deodoro,209 - Centro
Horário de funcionamento: todos os dias das 07h às 21h
Próximo à estação Emmerich (130 metros)

Santos
• Bar do Barão
Rua Projetada, 156 - José Menino
Horário de funcionamento: todos os dias das 09h às 00h
Próximo à estação Nossa Senhora De Lourdes (200 metros)

• Bazar São Gabriel (Atual Modas)
Rua Delfino Stockler De Lima, 27, Loja 05 - Divisa
Horário de funcionamento: segunda a sábado das 09h30 às 18h30 / Domingo das 09h30 às 13h
Próximo à estação João Ribeiro (210 metros)

• Alvarenga Advocacia Imobiliária
Av Dr. Moura Ribeiro, 05, sala 03 - Marapé
Horário de funcionamento: segunda à sexta das 08h às 18h / sábado das 09h às 14h
Próximo à estação: Pinheiro Machado (300 metros)

Vimos no G1

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Pontos de ônibus mais movimentados de SP terão Wi-fi e Tomada

A Otima, empresa responsável pela manutenção e conservação dos pontos de ônibus da cidade de São Paulo apresentou na feira de tecnologia Campus Party, um novo modelo de abrigo que deve ser implantado em 2017.

A parada deverá ter um painel informativo com touch-screens que mostrará informações sobre as linhas em tempo real, câmera de monitoramento, wi-fi, previsão do tempo e até carregador de celular.

“Com uso das mais modernas tecnologias nos abrigos de ônibus, poderemos oferecer uma série de benefícios para a população e para a cidade de São Paulo, colocando a cidade na vanguarda tecnológica do mundo, aplicando efetivamente o conceito de smart city.”, disse o diretor de tecnologia e operações da empresa, Lúcio Correia.

O leitor deve estar se perguntando a respeito de possíveis atos de vandalismo sobre os equipamentos. A empresa diz que as novas paradas serão feitas com materiais resistentes. Os pontos de ônibus contemplados com as novas tecnologias serão instalados em locais de maiores movimentos.

ponto-onibus-otima3

Vimos no Via Trolebus
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

CPTM publica edital de compra de 8 trens para Linha 13 Jade

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos publicou um edital de licitação de 8 trens para Linha 13-Jade, que vai ligar a Estação Engenheiro Goulart até o Aeroporto Internacional de Guarulhos – Governador André Franco Montoro.

A CPTM divulgou no Diário Oficial, além do edital das novas composições, o aviso de concorrência pública para o fornecimento e implantação dos sistemas de monitoramento de vias e de telecomunicações da nova ligação ferroviária.

As concorrências são internacionais. As obras da Linha 13 estão em curso, e o Governo Estadual trabalha com a possibilidade de entregar a nova linha em 2017.

Nós estamos autorizando hoje o lançamento dos editais para a compra de oito trens. São oito trens dos mais modernos, com ar condicionado, vagão contínuo para ir do primeiro ao oitavo carro com o trem andando, câmeras de vídeo, maior motorização e bagageiros. Como o trem vai para o aeroporto, as pessoas poderão levar suas malas e suas bagagens com mais conforto”, disse o governador Geraldo Alckmin. Os primeiros trens começarão a ser entregues em 2017.

Imagem: Sergio Mazzi

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Após solapamento, linha 3 Vermelha do Metrô opera com lentidão

Passageiros da Linha 3-Vermelha do Metrô de São Paulo enfrentam lentidão desde a manhã desta terça-feira, 26 de Janeiro der 2016. Um solapamento de solo próximo ao muro da estação Artur Alvim na Radial Leste, afetou a circulação dos trens, por medida de segurança. O problema também afeta a ciclovia Caminho Verde.

A operação Paese foi acionada a partir das 5h30 com ônibus que tiveram os itinerários de suas linhas estendidos, e o atendimento passou a ser realizado da estação Itaquera para a estação Carrão.

O Metrô informa em nota que “colabora com a Subprefeitura da Penha na recomposição da galeria de águas pluviais sob a Radial Leste, na altura da estação Artur Alvim”. Até as 13h20 a situação não havia sido normalizada.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Translado do novo trem da Hyundai-Rotem da CPTM

Duas das primeiras unidades do novo trem da CPTM foi divulgada na página do Facebook “Paparazzi Ferrovíário“. O trem da série 9500 aparece no Rodoanel, a caminho de Araraquara, onde será finalizado. Ainda faltam engates, pantógrafos, e acabamento interno.

O restante das 30 composições será montada na fábrica da Hyundai-Rotem em Araraquara, com 8 carros cada,  passagem livre entre os carros. 

A composição deverá ser entregue para Companhia Paulista de Trens Metropolitanos ainda em 2016, e então deverá passar por bateria de testes antes de integrar à frota dos trens metropolitanos. Foram adquiridos ao todo 65 novos trens, contando com estes 30 e mais 35 encomendados da empresa CAF, que já estão sendo entregues. A previsão é que os novos trens substituam composições mais antigas da empresa.

Confira mais fotos abaixo:











Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obras de modernização alteram circulação dos trens da CPTM neste fim de semana prolongado

Neste fim de semana, 23 a 25 de janeiro, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) prosseguirá com as obras de modernização em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos. Na segunda-feira, 25, feriado na capital de São Paulo, o intervalo praticado será o mesmo programado para os sábados e feriados, com exceção da extensão da Linha 11-Coral (Guaianases-Estudantes). Confira a programação e antecipe sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)

Domingo: das 4h até meia-noite haverá obras de modernização no sistema de rede aérea. O intervalo médio entre as estações Luz e Pirituba será de 15 minutos e, entre estações Pirituba e Francisco Morato, de 30 minutos.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Domingo: das 4h até a meia-noite, as intervenções ocorrerão na via permanente entre as estações Barueri e Engenheiro Cardoso. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Júlio Prestes e Barueri e entre as estações Barueri e Itapevi, de 20 minutos.

Segunda-feira (25): Das 6h às 20h, também serão executados serviços de modernização na região da Estação Jd. Belval. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Júlio Prestes e Barueri e, entre as estações Barueri e Itapevi, de 20 minutos.

Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú)

Domingo: das 8h às 20h ocorrerão serviços na via permanente entre as estações Osasco e Presidente Altino. A circulação ficará interrompida entre essas estações. Para completar a viagem o usuário deve utilizar os trens da Linha 8 (Diamante). Entre as estações Presidente Altino e Grajaú, o intervalo será de 10 minutos.

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 7h às 18h ocorrerão serviços na via permanente na região da Estação São Caetano do Sul - Prefeito Walter Braido. O intervalo médio será de cerca de 30 minutos em toda a linha.

Extensão Linha 11-Coral (Guaianases – Estudantes)

Sábado, domingo e segunda-feira: das 20h de sábado até meia-noite de segunda-feira ocorrerão serviços na via permanente na região da Estação de Mogi das Cruzes. O intervalo será de 15 minutos em toda linha.
 
Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Sábado e domingo: das 20h de sábado até meia-noite de domingo haverá obras de modernização no sistema de rede aérea e via permanente entre as estações USP-Leste e Comendador Ermelino. O intervalo médio será de 35 minutos em toda a linha.

Desafio: A CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.

Vimos na CPTM

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

25 de Janeiro terá passeio gratuito de trólebus no centro de São Paulo

A prefeitura de São Paulo deve promover neste ano, no aniversário da cidade, o já tradicional passei de trólebus no centro histórico da capital. Trata-se da 11º edição, onde são feitas partidas a cada 4 minutos de veículos elétricos. Nos ônibus que levam apenas passageiros sentados, guias de turismo vão a bordo e ao longo do percurso, e contam um pouco da história da cidade. 

Partida: Páteo do Colégio;
Itinerário: Páteo do Colégio, Mosteiro do São Bento, Edifício Martinelli, Edifício Altino Arantes, Viaduto do Chá, Theatro Municipal, Praça da República, Edifício Itália, Biblioteca Mário de Andrade, Largo São Francisco e Catedral da Sé;

Dia e horário: 25 de janeiro de 2016, das 09h às 15h;
Duração do passeio: 40 minutos

Vimos no Via Trolebus
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Aumenta número de passageiros de ônibus em São Paulo

No entanto, a satisfação do paulistano, ouvido na pesquisa, em relação ao transporte coletivo por ônibus é baixa. Os serviços de transporte e com trânsito tiveram nota média de 3,9, de uma escala de zero a dez.
Os dados apontaram também que o tempo médio de espera nos pontos de ônibus passa de 20 para 21 minutos na comparação com a pesquisa anterior.

O estudo foi feito entre 30 de novembro a 18 de Dezembro de 2015, e o Ibope ouviu 1.512 entrevistas.

A pesquisa tem 95% de confiabilidade e a margem de erro é de 3 (três) pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados. 


Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Empreiteiras culpam Metrô por atrasos em projetos do Monotrilho

Imagem de Sergio Mazzi
Após ter sido divulgado que o Governo do Estado de São Paulo cancelou contrato com empreiteiras responsáveis pela construção das estações e pátio sobre o piscinão Água Espraiada, da Linha 17-Ouro, o consórcio AG-CRA, formado pelas empresas Andrade Gutierrez e CR Almeida, diz que o Metrô atrasou frentes de serviço, fornecimento de projetos executivos e interfaces com demais contratos.

As empresas disseram ainda que antes da divulgação do cancelamento do contrato, já trabalhavam para quebrar o acordo. “…diante dos sucessivos atrasos por parte do Metrô e da sua falta de planejamento para as obras, [o consórcio] ajuizou ação no dia 10 de dezembro de 2015 com o objetivo de rescindir o escopo das obras civis do contrato de Via da Linha 17″, diz nota.

O consórcio diz ainda que falta mais da metade dos projetos sob a responsabilidade do Metrô de São Paulo, no que se refere ao pátio de manobras.

Segundo colocado
O secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, afirmou que o Governo Estadual deve chamar o segundo colocado para realização das obras. “Vamos chamar os segundos colocados e ver se aceitam a tarefa pelo mesmo preço, como dita a lei,” explicou Clodoaldo, segundo informações do jornal “O Estado de São Paulo”.

Se o Governo Estadual não conseguir contratar a segunda colocada, deverá realizar uma nova licitação, o que atrasará ainda mais a entrega do monotrilho que vai ligar o Aeroporto de Congonhas com a estação Morumbi da CPTM.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obras da Linha 6 alteram tráfego no Pacaembu

Para iniciar as obras do poço de ventilação Pacaembu, a CET terá que fazer intervenções no bairro da zona Oeste. A rua Itápolis terá um trecho bloqueado e a Rua Desembargador Paulo Passalaqua passa a ser mão dupla.

As intervenções começaram no último domingo e devem durar 3 anos. A linha 6-laranja, é construída através de uma PPP, e ligará o bairro de Brasilândia a São Joaquim, conectando com as linhas 1-azul e 4-amarela, do Metrô, e 7-rubi e 8-diamante, da CPTM. O Governo Estadual espera entregar a nova linha em 2020.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Contrato com construtoras é cancelado e Linha 17 é paralisada

Imagem de Sergio Mazzi

O Metrô decidiu rescindir o contrato com as empreiteiras Andrade Gutierrez e CR Almeida para a construção da linha 17-Ouro, no trecho entre o Aeroporto de Congonhas e a estação Morumbi, com a justificativa que as construtoras abandonaram as obras.  Este já o segundo caso de obras do Metrô que acontece a mesma coisa. O primeiro foi na Linha 4 – Amarela, quando o governo rompeu contrato com a espanhola Isolux.

De acordo com reportagem do Valor Econômico, a Andrade Gutierrez e a CR Almeida abandonaram as obras do monotrilho no fim do ano. As companhias eram responsáveis pela construção do pátio de manobras de trens e por três das oito estações. Procurada, a Andrade Gutierrez não quis comentar. Já a CR Almeida retornou os pedidos de entrevista. As duas empresas estão sendo investigadas pela Polícia Federal no âmbito da operação Lava-Jato, que apura desvios em contratos da Petrobras.

O metrô fez vistorias e constatou o abandono. Durante dezembro, as empresas foram notificadas para retomar os trabalhos, o que não ocorreu. Na semana passada, as empresas formalizaram a saída alegando dificuldades para executar as obras dentro do orçamento previsto.

Segundo o jornal, o Metrô irá contatar a segunda colocada na licitação para verificar se há interesse desta tocar as obras. Caso contrário, uma nova licitação terá que ser feita, o que deve adiar mais ainda  a entrega deste trecho.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Haddad se mostra contrário a passe livre e não vai revogar aumentos

Segundo o prefeito de São Paulo, impacto de tarifa zero seria de R$ 8 bilhões, o equivalente a arrecadação integral do IPTU

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, se mostrou contrário à proposta de implantação do passe livre para todos os passageiros de ônibus na capital paulista nas condições atuais.

Em entrevista ao ValorPro, serviço de informação em tempo real do jornal Valor Econômico, Haddad disse que a proposta de tarifa zero neste momento não é viável para a cidade de São Paulo, como defende o MPL – Movimento Passe Livre. O prefeito ainda complementou dizendo que São Paulo hoje tivesse tarifa zero, seriam necessários R$ 8 bilhões em subsídios anuais, praticamente o mesmo valor que hoje a prefeitura arrecada com o IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano.

Haddad afirmou ao jornal que não vai revogar o reajuste de R$ 3,50 para R$ 3,80 das tarifas de ônibus, como pede o MPL.

O prefeito Fernando Haddad também disse que será possível com a renegociação das dívidas da prefeitura com a União, conseguir recursos para financiar obras que dependeriam de verbas do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, mesmo sem apoio do Governo Federal. De acordo com regras do PAC, para que o financiamento seja liberado, a prefeitura deve começar as obras e os projetos com recursos próprios. 

Com as contas públicas em dia, é possível conseguir empréstimos no mercado financeiro para começar essas intervenções e depois receber as verbas do PAC. No entanto, na entrevista, Haddad reconhece que por causa da crise econômica e fiscal, a União tem liberado menos recursos pelo PAC.

Boa parte da meta de 150 quilômetros de corredores de ônibus, prometidos por Haddad durante a campanha de 2012 para ser entregues até o final do mandato em 2016, depende justamente de verbas do PAC. Por causa dos problemas de liberação de recursos e da suspensão das obras depois de suspeitas de irregularidades, como sobrepreço, de mais de 40 quilômetros em diversos trechos, por parte de TCM – Tribunal de Contas do Município, e por recomendações de bloqueio do TCU – Tribunal de Contas da União, a meta é considerada quase impossível de ser cumprida.

O prefeito Fernando Haddad também afirma que é uma conquista o número de ciclista ter dobrado na cidade de São Paulo depois da implantação das ciclovias e nega que faz uma administração de ódio ao automóvel. Confira na íntegra a entrevista ao ValorPro.

Valor: Como o senhor vê a atuação da polícia nas manifestações contra o reajuste da tarifa?
Fernando Haddad: A polícia não está sob meu comando, infelizmente. No mundo inteiro, a polícia é em geral civil e subordinada à municipalidade, que é o melhor modelo. É difícil fazer avaliação de uma corporação que não está sob seu comando, até porque você pode sofrer as consequências disso, como aconteceu em 2013, em que a partir de um breve comentário meu nós sofremos no dia seguinte as consequências. Quase perdemos dois prédios históricos da cidade, a sede da prefeitura e o Theatro Municipal.

Valor: Houve retaliação do governo estadual?
Haddad: Não estou dizendo que houve retaliação, mas quando disse que alguns protocolos não haviam sido observados [pela PM], no dia seguinte os prédios da prefeitura ficaram sem proteção e nós quase perdemos a sede da municipalidade e o Theatro Municipal, que quase foram incendiados. Tive que recorrer ao próprio governador e pedir para que os prédios fossem protegidos. São situações que aprofundam a crise institucional, colocando em risco as regras que temos que defender, que é da democracia e do convívio pacífico. Neste momento, a municipalidade está fazendo o que lhe cabe, que é mobilizar o Ministério Público Estadual, que estava distante e que tem o dever e poder de ajudar. O MPE pode ajudar a interpretar a Constituição e colocar certas balizas. São Paulo tem sido palco de manifestações e muito mais numerosas. Tivemos no segundo semestre de 2015 manifestações com 20 mil a 50 mil pessoas, sem nenhum incidente. São Paulo convive bem com as regras democráticas e sempre que há violência a cidade se ressente.

Valor: Os protestos são contra o aumento da tarifa que o senhor e o governador promoveram. Há chance de o senhor revogar o aumento?
Haddad: Fechamos o mês de dezembro com 530 mil estudantes no Passe Livre, a um custo de R$ 700 milhões por ano para a municipalidade. Só o Passe Livre Estudantil, que foi um gesto de diálogo com o movimento, corresponde a um subsídio de R$ 700 milhões por ano. É o orçamento da Secretaria da Cultura, por exemplo. O Passe Livre Estudantil abrange 70% dos alunos, todos de escola pública e baixa renda. O resto tem renda. Além disso, tem subsídio ao idoso. Diminuímos a idade para 60 anos – os homens eram 65 anos. No total, são 22% de passagens gratuitas, 2,2 milhões de pessoas que não pagam passagem de ônibus, a um custo de quase R$ 2 bilhões. O subsídio aprovado no primeiro ano do meu governo era de R$ 600 milhões.

Valor: Os manifestantes alegam que o aumento compromete a renda do trabalhador e beneficia as empresas de transporte. O repasse às empresas aumentou 17% entre 2014 e 2015, mas o número de passageiros caiu 1%…
Haddad: O trabalhador tem vale-transporte. O estudante está mais preocupado com o trabalhador do que com… Acho isso estranho, só os estudantes estão na rua. Não tem aumento de repasse. Tem aumento de subsídio. Alguém tem que pagar o passe livre. A pauta do movimento, de Passe Livre para todos, significa R$ 8 bilhões de subsídio. É óbvio que alguém pode propor isso. Quem sabe não aparece um candidato que defenda essa tese, que fale ‘olha, vou pegar todo o IPTU da cidade – que é mais ou menos o que custa o sistema de transporte-, e vou usar para passagem grátis para todo mundo’?

Valor: Então não vai revogar?
Haddad: Estou dando as condições para que as pessoas julguem o que está se falando. Em outubro vamos fazer esse debate, é ano eleitoral. Vamos discutir de forma madura. O dinheiro da prefeitura é dinheiro do povo. Se o povo entender que vale a pena colocar 100% do IPTU no transporte tirando de saúde, educação, é um direito da democracia, mas tem regras democráticas para decidir isso. O ano é muito propício para discutir isso.

Valor: A política econômica do governo federal atrapalhará sua candidatura?
Haddad: Antes da troca do ministro da Fazenda, em virtude dos desequilíbrios que foram acumulados ao longo do tempo, como acúmulo de desonerações, swap cambial e tarifas administradas, acumulamos um passivo, sobretudo em 2013, 2014. O governo considerou importante esse modelo para manter o nível de atividade e o nível de emprego, mas chegou ao esgotamento, a economia mundial não permitia que esse modelo que pudesse prosperar. Estamos vivendo um momento de transição e isso implica sacrifícios para quem está no governo. É mais fácil para a oposição do que para o governo.

Valor: Como o senhor avalia o primeiro ano da política econômica, com Joaquim Levy, voltada basicamente para o ajuste fiscal? E a política de juros do Banco Central?
Haddad: Acumularam-se passivos importantes e houve um esgotamento desse modelo. A transição se impôs. O governo a partir daí fixou dois objetivos de curto prazo. Equacionar o problema da relação dívida/ PIB e trazer a inflação para o centro da meta. Essas duas metas eram impossíveis de serem atingidas da maneira como se previa porque a política monetária corroía o ajuste fiscal e obviamente tem que ter uma recalibragem da política econômica… À luz do passivo acumulado, essas metas eram tão exigentes que provocariam uma retração econômica muito forte, como aconteceu. Estamos com novo ministro e temos que aguardar. A aposta que se faz com Nelson Barbosa é que ele promova essa recalibragem para que a transição seja menos dolorosa do ponto de vista social e recupere a confiança dos agentes econômicos. Uma boa parte da crise não é econômica. Tem outra dimensão, que é a questão da base de sustentação do governo, que precisa ser resgatada. Outra dimensão é o efeito das ações de combate à corrupção. Isso está afetando a economia.

Valor: É possível uma guinada do governo à esquerda?
Haddad: Não acho que se trata de esquerda ou direita. Trata-se de conduzir uma transição para um novo ciclo de desenvolvimento em função do fato dos dez anos de crescimento que tivemos. Essa transição vai ter que ser feita com muita sabedoria, senão vai comprometer avanços sociais importantes e isso de certa maneira pressiona muito a política. O eleitorado se ressente.

Valor: E o que a prefeitura pode fazer para ajudar o governo a estabilizar a economia, se não voltar o crescimento?
Haddad: A prefeitura está em seu melhor momento. Com a renegociação da dívida trouxemos o nosso endividamento para menos de 85% da nossa receita líquida real, o que coloca São Paulo numa posição privilegiada em relação a outros entes da federação. Isso abre espaço para financiar o nosso PAC mesmo eventualmente sem apoio federal. Pelo terceiro ano consecutivo estamos batendo recorde de investimento, com R$ 4,5 bilhões. Estamos com uma folha controlada na casa de 35% da Receita Líquida Real contra 46% do Estado, 45% da Prefeitura do Rio, que são os entes que têm rating parecido com a capital. Não estou com obra parada, nem suspendi obra nenhuma. Creio que nesse último ano de mandato possamos atingir entre R$ 17,5 bilhões e R$ 18 bilhões de investimento no quadriênio, o que é um recorde histórico.

Valor: A prefeitura esperava cerca de R$ 8 bilhões da União e até agora só uma pequena parcela desse montante foi repassado. O senhor cobrou recentemente R$ 400 milhões. O governo federal tornou-se mais um problema do que solução?
Haddad: Com a crise, o repasse federal de todas as unidades da federação caiu demais. Não foi diferente em São Paulo. Agora muitas coisas estamos fazendo com recurso próprio. Meu dever é sempre buscar recurso.

Valor: O senhor tem sido criticado por não cumprir as metas de seu governo, em áreas importantes como saúde, educação e transporte…
Haddad: Isso vai se provar falso.

Valor: Da meta de construção de 20 CEUs, por exemplo, a prefeitura só entregou um. Dos três hospitais, só um está pronto. A meta dos corredores de ônibus não deve ser cumprida, nem a de zerar o déficit de 150 mil vagas em creche…
Haddad: Vou entregar 15 CEUs e deixarei cinco com as obras iniciadas. Entreguei um, oito já estão em obras e seis entrarão em obras no dia 22. São 12 meses de obra para construi-los. Vou entregar dois hospitais e um vai estar atrasado seis meses porque o metrô requisitou a área para fazer a estação Brasilândia. Perdi seis meses para deslocar o hospital e sobrar área para o metrô. Não acho que a Brasilândia vai ficar chateada de ganhar um hospital junto com uma estação do metrô. Vou entregar o hospital Parelheiros até agosto, setembro deste ano e Brasilândia até junho, julho do ano seguinte eu entrego. Abri 90 mil vagas de educação infantil, é o recorde da história da cidade. Com o país em recessão, abri mais vagas do que todos os antecessores. Vamos divulgar que o déficit de vagas em creches caiu para menos da metade.

Valor: O cronograma não está muito atrasado?
Haddad: Houve atraso, por várias razões. Tive que colocar R$ 2 bilhões de subsídios que não estavam previstos. Não prometi Passe Livre para estudante. Isso tirou dinheiro de obra. Tive a crise dos precatórios, que o Supremo Tribunal Federal declarou inconstitucional. Devo terminar o meu mandato com a economia brasileira encolhendo uns 5% ou 6% e tivemos uma inédita decisão do Tribunal de Justiça suspendendo a atualização da planta genérica do IPTU. Nenhum prefeito conviveu com nenhuma dessas quatro condições e nenhum dos que me antecederam suportaria qualquer uma dessa quatro. Eu não só suportei essas quatro como bati recorde de investimento. Quem é que enfrentou esse cenário adverso no passado?

Valor: Marta Suplicy assumiu uma prefeitura falida, por exemplo.
Haddad: O que é isso? Eu era secretário-adjunto de finanças daquela gestão e não fez nem cócegas perto do que enfrentei. Eu resolvi o problema do [Celso] Pitta em 90 dias.

Valor: O senhor terminou 2015 com uma rejeição de 49%, segundo pesquisa Datafolha. É possível reverter essa má avaliação a poucos meses das eleições?
Haddad: Em 2012, a pesquisa Datafolha da véspera do primeiro turno me dava 20%, sete pontos percentuais atrás do Russomanno. Respeito instituto de pesquisa, mas a vida não é assim.

Valor: Uma das principais bandeiras da sua gestão, as ciclovias, são alvo de críticas de que foram feitas sem planejamento e muitas estão ociosas..
Haddad: Quase dobrou o número de ciclistas na cidade. Segundo pesquisa do Ibope, aumentou 70%. Não teve divulgação dessa pesquisa do Ibope porque a imprensa é muito contra o programa de mobilidade da prefeitura. Todos os editoriais, sem exceção, são contra o plano de mobilidade. Faixa de ônibus, ciclovias, redução da velocidade, abertura de ruas aos fins de semana para o lazer. Não conheço nenhum veículo de comunicação que tenha feito um gesto na direção do que eu considero a modernidade. Sobre a redução da velocidade, prefiro ser criticado e ter salvado 300 pessoas, que deixaram de morrer em um ano no trânsito. Foram cerca de dez mil feridos a menos. Ouço os técnicos da CET e não faço demagogia com a vida dos outros. Segui orientação técnica e os resultados estão ai, para ninguém mentir. É a velocidade máxima nas cidades europeias todas [50 km/h]. Fomos todos muito criticados pelo plano de mobilidade. O engraçado é que é uma lei federal.

Valor: Existe uma espécie de ódio ao automóvel pela administração?
Haddad: Em São Paulo ninguém discute mais semáforo. Investi R$ 220 milhões na reforma semafórica da cidade. Em dia de chuva chegamos a ter 400 semáforos em amarelo piscante ou apagado. Hoje nossa média é menos de 0,5%. De 6.400 semáforos, chegamos a ter mais de 6% comprometidos com chuva.

Valor: O senhor enfrenta dificuldades também na periferia, reduto eleitoral petista, que será disputado por Russomanno e Marta Suplicy. Quais serão suas marcas?
Haddad: Vamos entregar 20 hospitais-dia e 10 hospitais-dia móveis, 3 hospitais gerais, 16 UBS, 15 UPAs, CEUs, a duplicação de vias importantes, obras de drenagem, muita coisa. Mais do que qualquer prefeito me antecedeu, em condições econômicas mais favoráveis. Todo mundo dizia que eu iria perder a eleição em 2012. Não vi nenhum analista falar que eu ganharia.

Valor: A campanha será mais curta neste ano e o senhor terá menos tempo para tentar melhorar a avaliação do governo. Essa mudança prejudicará sua candidatura?
Haddad: Se a campanha é mais curta, é mais tempo para eu trabalhar.

Valor: A campanha será também a primeira sem doação empresarial. Em 2012 a receita de sua campanha foi de R$ 42 milhões que arrecadou, só 0,3% foram de pessoas físicas. Qual será o impacto nas campanhas?
Haddad: É bom. Ninguém vai ter [doação empresarial]. Todos os candidatos passarão pela mesma situação. O bom é que vale para todos. Sempre fui contra doação empresarial. Espero que mude muito a campanha. A doação empresarial é péssimo exemplo para democracia e está na raiz de muitos problemas que vivemos no país.

Valor: O senhor está decepcionado com a política?
Haddad: A situação está muito crítica e o pior não é isso. É que a situação atual afasta as pessoas de bem da política. A política está cada vez menos convidativa, em parte porque a classe política de bem está se degradando. Não há processo de regeneração e em parte porque não há por parte daqueles que acompanham a politica o desejo de discernir o bom do ruim. Quando você coloca todo mundo na mesma vala, você piora a seleção. É o que está acontecendo no Brasil. Toda classe política, independentemente de indivíduos corretos ou incorretos, todos estão sendo colocados na mesma vala comum e o cidadão, por falta de informação de quem é ético e quem não é, opta por outras variáveis para escolher, que não são as melhores para sanear o sistema. Tem um círculo vicioso, que leva a crer que Ulysses Guimarães estava certo. Está reclamando desse Congresso? Vamos ver o próximo. É o que está acontecendo no Brasil.

Valor: Diante desse quadro o senhor pretende se distanciar do PT?
Haddad: As pessoas de bem estão cada vez mais desinteressadas da política. É ruim para você, para o cidadão comum. Não vejo um esforço da sociedade, em geral, de criar as condições para que as pessoas possam discernir. Então as rotulações, as criminalizações coletivas estão sendo a marca da política atual e da comunicação também. Tenho dito sempre que vou dar palestra sobre o assunto – e sou razoavelmente bastante convidado para falar sobre o assunto – digo que a honra do indivíduo é um atributo dele, mas não é um ativo dele, é da sociedade. Nós deveríamos aprender a defender a honra de quem tem, independentemente de nossas posições ideológicas. Isso não está sendo feito nem pela imprensa, por ninguém. Então lamento, mas isso é o caminho da tragédia, não da regeneração. A partir do momento que eu não tenho coragem de sair em defesa de um adversário político que é honrado, não estou contribuindo para melhorar a sociedade.


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

São Paulo perdeu um terço dos cobradores e sindicato promete protesto

Ainda que a prefeitura de São Paulo negue que o número de cobradores de ônibus deve diminuir com a nova licitação dos transportes, na prática, pelo menos 13 mil, dos 32 mil foram demitidos em um período de um ano, de acordo com um levantamento do Sindmotoristas – Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo.

A informação foi revelada pelo jornal Agora São Paulo, e os desligamentos se deram principalmente depois de as cooperativas de transportes terem sido transformadas em empresas de ônibus, uma exigência para a concorrência do novo sistema.

Nestes veículos a cobrança em dinheiro é feita pelo motorista, porém, a maioria dos embarques são feitos por bilhete único. Dados da prefeitura de São Paulo dão conta que em torno de 90% dos pagamentos para acessos ao sistema de ônibus são feitos por cartão. 

Outra atribuição que era dos cobradores, que corresponde a validação dos passageiros especiais, também foi abolida, após a instalação de câmeras nos validadores.

O Sindmotoristas, por outro lado, promete realizar manifestações e debates sobre o assunto.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obras de modernização alteram circulação dos trens da CPTM neste fim de semana, 16 e 17 de janeiro.

Neste fim de semana, 16 e 17 de janeiro, a CPTM prosseguirá com as obras de modernização em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos. Confira a programação e antecipe sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)


Domingo: das 4h até meia-noite haverá obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Jaraguá e Vila Aurora. O intervalo médio entre as estações Luz e Pirituba será de 15 minutos e, entre Pirituba e Francisco Morato, de 30 minutos.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Domingo: das 8h às 20h, as intervenções ocorrerão na via permanente entre as estações Jandira e Itapevi. Das 9h às 16h, também serão executados serviços no sistema de sinalização na região da Estação Domingos de Moraes. Das 8h às 16h, o intervalo médio será de 24 minutos entre as estações Júlio Prestes e Itapevi. Entre 16h e 20h, o intervalo médio será reduzido para 20 minutos, no mesmo trecho.

Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú)

Domingo: das 4h até meia-noite, haverá obras no sistema de rede aérea entre as estações Cidade Universitária e Berrini. O intervalo médio será de 25 minutos em toda a linha.

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 7h às 18h, ocorrerão serviços na via permanente, entre as estações Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Brás e Mauá, e entre Mauá e Rio Grande da Serra, 20 minutos.

Linha 11-Coral / Expresso Leste (Luz – Guaianases)

Sábado e domingo: das 20h de sábado até meia-noite de domingo, os trabalhos serão realizados na via permanente entre as estações Tatuapé e Corinthians-Itaquera. O intervalo médio será de 15 minutos entre as estações Luz e Guaianases.

Extensão Linha 11-Coral (Guaianases – Estudantes)

Domingo: das 6h às 19h, por conta das obras de modernização da Estação Poá, o intervalo médio será de 20 minutos entre as estações Guaianases e Estudantes.

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Sábado e domingo: das 20h de sábado até meia-noite de domingo, haverá obras de modernização no sistema de rede aérea e via permanente entre as estações Usp-Leste e Comendador Ermelino. O intervalo médio será de 35 minutos em toda a linha.

Desafio: A CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.

Vimos na CPTM
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Caio estaria produzindo novo biarticulado para São Paulo

Uma imagem que circula nas redes sociais e em fóruns discussão, mostra o que seria a montagem de um ônibus biarticulado do padrão da cidade de São Paulo. O veículo é da carroceria Caio Millennium BRT, com chassi Volvo, e possui a logo marca do Consórcio 7. 

O ônibus também teria ar condicionado, seguindo o padrão dos novos veículos da cidade de São Paulo, que as empresas de ônibus estão adquirindo, antes mesmo da licitação dos transportes, que ainda esta barrada na justiça. No entanto, a informação da produção do ônibus não foi oficialmente confirmada pela encarroçadora. 

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Cidades do ABC não vão aumentar Tarifa de Ônibus

Três cidades da região do ABC paulista não devem aumentar a passagem de ônibus, na contramão de muitos municípios Brasil a fora, que subiram as tarifas, entre outros motivos, pelo custo de manutenção e combustível.

Nas cidades de São Caetano do Sul e Ribeirão Pires, a passagem de ônibus deverá ficar em R$ 3,50. Já em Rio Grande da Serra, o preço da tarifa dos coletivos ficará em R$ 3,40.

Os prefeitos anunciaram a medida nesta segunda-feira, 11 de janeiro de 2016, em reunião do Consórcio Intermunicipal do ABC. As administrações afirmam que é possível compensar os aumentos dos custos de operação. Por outro lado, Santo André, São Bernardo do Campo, Diadema e Mauá já contam com passagem no valor de R$ 3,80.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Linha 5 – Lilás já e a segunda mais cheia de São Paulo

Antes conhecida como linha fantasma, a linha 5 – Lilás, que atualmente liga o Capão Redondo a estação Adolfo Pinheiro, tornou- se nos últimos anos a segunda mais cheia do sistema metroviário de São Paulo.

De acordo com reportagem do UOL, em 2012, a linha transportava em média, nos horários de pico, 4,5 passageiros por m². No primeiro semestre de 2015, este número saltou para 6,1. O padrão internacional para lotação máxima em vagões de metrô é de 6 passageiros/m². A linha só fica atrás da linha 3 – vermelha, que hoje leva, nos horários de pico, em media, 7,4 passageiros por m² entre janeiro e junho do ano passado.

Desde sua inauguração até hoje, a linha 5 só faz conexão com a linha 9 – Esmeralda, da CPTM, porém, com a inauguração da linha 4 – amarela, em 2011, que também faz conexão com a linha 9, os usuários começaram a usar mais a linha 5 visto que poderiam seguir até o destino final sem sair do sistema metroferroviário. Outra justificativa é a adequação das linhas de ônibus que antes , por exemplo, iam até Santo Amaro e hoje vão até Capão Redondo, fazendo com que o passageiro utilize o metrô para seguir viagem.

Com previsão da expansão da linha 5 ser entregue entre 2017 e 2018, o número de usuários irá aumentar. Haverá integração com a linha 1-azul, em Santa Cruz, e 2-verde, em Chácara Klabin, fazendo com que o passageiro não tenha que desembarcar na linha 9 para depois pegar a linha 4 para continuar o trajeto pelo Metrô. A linha 4 deve sofrer um alívio pois não necessitará transportar tantos passageiros com destino a linha 5.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obras aos finais de semana da CPTM vão até fim do ano

O passageiro da CPTM, sobretudo aos finais de semana, sabe que dependendo do horário, as composições atendem às estações em horários maiores, por conta de obras de modernização. Por vezes, trechos ou até linhas inteiras ficam interrompidas por conta dos reparos. Junto com as obras, continuam as falhas. Só na semana passada, a Linha 7-Rubi teve dias seguidos de problemas, com avarias em trem, e problemas no sistema de energia, quando um pantógrafo de uma composição enroscou nos cabos.

De acordo com declarações do Secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, as intervenções devem ocorrer até o final de 2016, e que 78% das obras foram concluídas.

“Nossa expectativa é que vamos concluir essas obras em setembro. A partir daí, a quantidade de falhas deve cair sensivelmente. Muitas dessas são de natureza elétrica”, afirma o secretário.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Extensão da Linha 9-Esmeralda fica para 2017

O prolongamento da Linha 9-Esmeralda até o bairro de Varginha, no extremo sul da cidade de São Paulo deve ficar para 2017. A extensão havia sido promessa de campanha do Governador Geraldo Alckmin, na campanha de 2010, onde a entrega era prevista em 2013, e foi postergada algumas vezes.

A justificativa do governo estadual é a burocracia por parte do governo federal, segundo o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, já que parte do dinheiro vem do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). 

Por outro lado, o Governo Federal da conta de que faz “todas as exigências previstas na legislação”, antes da liberação de recursos, “a fim de que as obras sejam executadas da melhor forma e no menor tempo possível”. A extensão deve beneficiar 100 mil passageiros por dia.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Oito ônibus municipais foram depredados em protesto liderado pelo MPL em São Paulo

Manifestante em ato do MPL depreda ônibus pichado com extintor de incêndio. Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

A Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo informou que pelo menos oito ônibus do sistema da Capital Paulista foram depredados no protesto que ocorreu entre a tarde e a noite desta sexta feira dia, 8 de janeiro de 2016, contra o reajuste das tarifas de ônibus, metrô e trens que entrou em vigor neste sábado.

A maioria dos veículos teve vidros quebrados, bancos e portas destruídos e, em um deles, os manifestantes jogaram objetos em chamas para provocar incêndio, mas o fogo não se alastrou.

O protesto foi liderado pelo MPL – Movimento Passe Livre e começou de forma pacífica, mas jovens usando máscaras começaram a provocar a Polícia Militar e a praticar atos de vandalismo.

Houve confronto com os policiais que lançaram bombas de efeito moral. Manifestantes queimaram lixo e atacaram bens públicos e privados.

De acordo com Secretaria de Segurança Pública, 17 pessoas foram detidas e três policiais militares foram feridos a pedradas.

Além dos oito ônibus, um carro da CET – Companhia de Engenharia de Tráfego, um veículo da SPTrans – São Paulo Transporte e duas viaturas da Polícia Militar foram danificados.

Também foram depredadas três agências bancárias que tiveram os vidros quebrados.

Responsável pelo protesto, o MPL informou que compareceram 30 mil manifestantes. A PM diz que foram 3 mil pessoas.

No Rio de Janeiro, onde também houve aumento de tarifa de ônibus, manifestantes realizaram protestos que também terminaram em violência e confronto com a Polícia Militar.

Os custos de depredações, riscos de operação e avarias também compõem as tarifas.


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

​Obras de Modernização alteram circulação dos trens da CPTM neste fim de semana (09 e 10/01)

Neste fim de semana, 9 e 10 de janeiro, a CPTM, prosseguirá com as obras de modernização em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos. Confira a programação e antecipe sua viagem.

​Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)

Domingo: das 4h até meia-noite haverá obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Perus e Caieiras. O intervalo médio entre as estações Brás / Luz e Francisco Morato será de 24 minutos.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, os serviços serão executados nos equipamentos de sinalização entre as estações Jandira e Itapevi. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Júlio Prestes e Barueri, e entre Barueri e Itapevi, de 20 minutos.

Domingo: das 8h às 20h, as intervenções ocorrerão na via permanente entre as estações Jandira e Itapevi. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Júlio Prestes e Barueri, e entre Barueri e Itapevi, de 20 minutos.

Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú)

Domingo: das 4h até meia-noite, haverá obras no sistema de rede aérea entre as estações Santo Amaro e Jurubatuba. Entre 10h e 15h, também serão executadas intervenções no sistema de sinalização nas proximidades da estação Ceasa. O intervalo médio será de 25 minutos em toda a linha.

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 7h às 20h, ocorrerão serviços na via permanente, nas imediações da Estação Mauá. O intervalo médio será de 15 minutos em toda a linha.

Extensão Linha 11-Coral (Guaianases – Estudantes)

Domingo: das 4h até meia-noite, os trabalhos se concentrarão no sistema de rede aérea entre as estações Guaianases e Ferraz de Vasconcelos. O intervalo médio entre as estações Guaianases e Estudantes será de 22 minutos.

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)


Sábado e domingo: das 20h de sábado até meia-noite de domingo, haverá obras de modernização no sistema de rede aérea nas proximidades da Estação Usp-Leste. O intervalo médio será de 35 minutos em toda a linha.

Domingo: das 4h até meia-noite, também haverá intervenções na via permanente entre as estações Eng. Manoel Feio e Calmon Viana. O intervalo médio será de 35 minutos em toda a linha.

Desafio: A CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.

Vimos na CPTM
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

​CPTM volta a operar com a plataforma 4 da Estação da Luz nesta sexta-feira, 08/01

Nesta sexta-feira (08/01), a partir das 13h45, a plataforma 4 da Estação da Luz, que atende os trens da Linha 11-Coral Expresso Leste, volta a ser utilizada, após ter sido interditada por medida de segurança, em razão do incêndio no Museu da Língua Portuguesa, ocorrido em 21 de dezembro.

Depois de trabalhar initerruptamente por mais de dois dias, as equipes de técnicos da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), da Secretaria da Cultura e da empresa Concrejato (que realiza obras de pintura e restauro na Gare da Estação) conseguiram antecipar a liberação da plataforma 4 com a Defesa Civil do munícipio. Foram realizadas todas as intervenções necessárias, como a cobertura da estrutura superior sobre a Plataforma junto a parede do museu, visando a segurança dos usuários. 

Com esta liberação, a Estação volta a operar com as quatro plataformas atendendo as linhas 11-Coral (Expresso Leste – Luz-Guaianazes) e 7-Rubi (Luz-Francisco Morato). Dessa forma, os trens da Linha 7-Rubi voltam a obedecer parada final na Estação da Luz e não passará mais pela Estação Brás, medida emergencial de reforço na circulação de trens entre Barra Funda e Brás, adotada desde o incêndio no museu.

Os acessos pelo saguão principal lado Jardim da Luz e pela Rua Mauá permanecerão fechados. Os usuários continuarão usando os acessos pela avenida Cásper Líbero e pela calçada da Pinacoteca, na Praça da Luz. A alteração é necessária devido à continuidade das obras para o reparo do prédio do Museu.

Vimos na CPTM
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Confira os novos valores das tarifas de ônibus nas regiões metropolitanas do Estado de São Paulo

Foto: Adamo Bazani

O Governo do Estado de São Paulo publicou no Diário Oficial desta sexta-feira, 8 de janeiro de 2016, os novos valores das tarifas de ônibus metropolitanos gerenciados pela EMTU –  Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos.

Estes valores passam a vigorar neste sábado, 9 de Janeiro de 2016.  Segundo Governo do Estado de São Paulo, os reajustes foram abaixo da inflação apurada pelo IPCA, que acumula 10,53%, e os preços variam de acordo com a extensão das linhas e com os tipos de serviços, divididos entre: seletivo – ônibus com características rodoviária e comum – ônibus com característica de urbano.

As tarifas da EMTU valem para cinco áreas que somam 133 municípios no Estado que integram as regiões metropolitanas de São Paulo; Baixada Santista; Campinas; Sorocaba e Vale do Paraíba e Litoral Norte.
Os ônibus e trólebus da Metra, que operam no corredor Metropolitano ABD, terão tarifa de R$ 4
As linhas seletivas que partem dos aeroportos de Congonhas e em Guarulhos vão ter tarifa de R$ 45,50.

Valores variam de acordo com extensão de linhas
Valores variam de acordo com extensão de linhas

CONFIRA OS VALORES NOS LINKS: Confira os novos valores diretamente no Diário Oficial

As passagens hoje de R$ 3,50 passam a valer R$ 3,80, na maior parte da região, mesmo valor cobrado pelos ônibus municipais na capital paulista, trens da CPTM e metrô, mas diferentemente da cidade de São Paulo,os ônibus no ABC não se integram com o sistema sobre trilhos, a integração entre as linhas municipais é num espaço de tempo mais limitado e a extensão das linhas é bem menor.

Em São Bernardo do Campo, o reajuste vai ser aplicado já a partir deste sábado, dia 9 de janeiro. O valor será de R$ 3,80. Também entre sábado e segunda-feira, as passagens de ônibus municipais vão para R$ 3,80 em Diadema, Mauá e Santo André.

Em São Caetano e Ribeirão Pires, o valor também deve ir para R$ 3,80 e, Rio Grande da Serra, deve aplicar reajuste para R$ 3,60. Estas cidades ainda precisam definir as datas.

De acordo com os prefeitos da região, os aumentos estão abaixo da inflação.

Também neste sábado entra em vigor a nova tarifa dos ônibus e trólebus do Corredor Metropolitano ABD , que sobe de R$ 3,70 para R$ 4,00.


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Falha na rede elétrica interrompe Linha 7- Rubi da CPTM por 12 horas

Trens não circulavam entre as estações Francisco Morato e Pirituba. Falha teve início na tarde desta terça (5) e perdurou até as 6h30.

O trecho entre as estações Francisco Morato e Pirituba da linha 7- Rubi da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) ficou totalmente interditado na manhã desta quarta-feira (6). A paralisação ocorreu por causa de uma falha na rede que fornece energia elétrica aos trens e durou mais de 12 horas. Por volta das 6h30, a circulação de trens começou a ser normalizada.

O problema começou às 17h30 desta terça (5) quando foi interrompida a circulação das composições entre as estações Pirituba e Caieiras. Segundo a CPTM, por volta das 19h15 os trens voltaram a circular por uma das vias, com velocidade reduzida e maior tempo de parada. A equipe de manutenção seguia trabalhando em outra via, porém não conseguiram restabelecer o sistema durante a madrugada.

A operação Paese da EMTU foi acionada novamente na manhã desta quarta. No entanto, segundo passageiros, o Paese funcionava somente em direção a cidade de São Paulo, na estação Pirituba. Quem desejava seguir para Francisco Morato não conseguia prosseguir.

Na estação Caieiras, alguns ônibus saíram cheios de passageiros. Os trens na Linha Rubi circulavam apenas entre as estações Pirituba e Brás. Normalmente essa linha vai até a estação da Luz.

Por volta das 6h30, alguns trens começaram a circular em ambos os sentidos da linha da CPTM. A plataforma da estação Francisco Morato ficou lotada de passageiros.

Usuários da Linha 7-Rubi da CPTM depredaram a estação Pirituba de trem, na Zona Oeste de São Paulo, após paralisação causada por pane elétrica na terça-feira (5). Nesta quarta (6), a linha seguia interditada entre as estações Francisco Morato e Pirituba (Foto: Marcio Ribeiro/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)Usuários da Linha 7-Rubi da CPTM depredaram a estação Pirituba de trem, na Zona Oeste de São Paulo, após paralisação causada por pane elétrica na terça-feira (5). Nesta quarta (6), a linha seguia interditada entre as estações Francisco Morato e Pirituba (Foto: Marcio Ribeiro/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)
 
Usuários caminham próximos aos trilhos após falha na Linha 7 da CPTM nesta terça (5) (Foto: Reprodução: TV Globo)Usuários caminham próximos aos trilhos após falha na Linha 7 da CPTM nesta terça (5) (Foto: Reprodução: TV Globo)
 
Confusão
Nesta terça, para atender os usuários no trecho interrompido, 57 ônibus do Paese foram acionados, cobrindo o trajeto entre as estações. Ainda assim, algumas pessoas preferiram seguir a pé, pelos trilhos. Às 19h, os trens circulavam em velocidade reduzida entre as estações Brás e Pirituba. No mesmo horário, funcionários trabalhavam nos reparos na rede.

Um grupo tentou fazer uma manifestação perto da estação da CPTM e, segundo a Polícia Militar, algumas pessoas ameaçaram depredar ônibus em um terminal. Os policiais usaram bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes.

A CPTM diz que não houve registros de feridos nem vandalismo nas estações.

Vimos no G1

Comentários
0 Comentários

0 comentários: